Cultura da inovação

As pessoas precisam ser estimuladas e treinadas para contribuírem com ideias

Para acompanhar a revolução tecnológica, os profissionais buscam formas de adaptação e superação no mercado de trabalho. Larry Page, presidente e cofundador do Google adiantou em uma entrevista ao jornal americano The Financial Times, no final de 2014, que 90% do trabalho feito atualmente por humanos será realizado por robôs em alguns anos. 

Certo ou errado, Page nos direciona a um dos temas mais comentados do momento: a inovação. Como até agora não temos registros de máquinas criativas ou inovadoras, esse campo ainda é de domínio do homem – ainda bem! Mas o que faz um profissional ser inovador? Há técnicas para estimular essa característica? Como trabalhar a inovação e fazer dela um diferencial em uma empresa? 




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Por reuniões mais produtivas

Dicas que irão fazê-lo ganhar tempo e garantir qualidade de suas reuniões

Quem nunca ouviu a ideia de que fazer reunião é a melhor forma para matar tempo? Quando em excesso, para discutir todo tipo de assunto e sem objetivos claros, as reuniões realmente podem atrapalhar o andamento do trabalho e parecerem sem fundamento. 

No entanto, reuniões são necessárias para o acompanhamento de atividades e processos realizados em uma empresa. O que faz das reuniões produtivas ou não são ações simples. Selecionamos algumas dicas para ajudá-lo a manter a objetividade durante esses encontros. Tome nota e pratique! 




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Formando líderes

Entenda como funciona um programa de desenvolvimento de liderança estendido

Alguns têm perfil mais liberal, outros são controladores, podem ser generalistas ou especialistas, reservados ou extremamente comunicativos. Existem diversos perfis de liderança moldados por fatores pessoais e externos, a partir de experiências adquiridas desde o começo da vida e da carreira de cada indivíduo. Mas o mais importante ao contratar e, principalmente, trabalhar a formação de um líder é ter em mente que ele será responsável, entre outras atividades, por motivar outros colaboradores, ouvi-los e saber administrar o interesse de cada funcionário a favor do time e da organização.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Empresas inteligentes

Um bom desempenho não depende somente de seus talentos

A pergunta a seguir pode parecer estranha, mas você sabe dizer se sua empresa é inteligente? Sabemos que há pessoas inteligentes dentro das organizações atuando em diferentes áreas e posições. De cientistas a vendedores, tais profissionais que acumulam anos de experiência prática e estudo. Mas ter funcionários brilhantes não é garantia de inteligência empresarial ou de um bom desempenho.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Além do aprendizado

Um sistema de treinamento e capacitação tecnológico e cheio de recursos é importante, mas seu sucesso depende da aceitação das pessoas

Sabemos que a mudança de hábitos e métodos é uma questão a ser trabalhada a longo prazo, com muita comunicação entre colaboradores e gestores. Conforme Marc J. Rosenberg detalha no livro Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, para a implantação de uma arquitetura de aprendizado e de desempenho ter sucesso, é preciso lidar com a resistência e preparar as pessoas, ou seja, os usuários das ferramentas, aqueles que serão diretamente impactados, auxiliando-os para que “aceitem e adotem um novo modo de aprendizado”. 

Para estabelecer o processo de Gestão de Mudança, em seu livro, Rosenberg destaca "treze fatores de sucesso". No Dia Mundial da Educação e aniversário de 21 anos da MicroPower, escolhemos cinco deles para destacar em nosso blog. Tome nota e empreenda uma fantástica mudança no aprendizado de seus colaboradores!




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Questão de tempo

Como é calculada a duração de um curso em formato e-Learning

Alguns gestores não se atentam a esse detalhe, mas além da preocupação com o conteúdo e com o processo de aprendizado, o tempo é um elemento importantíssimo para a elaboração de um curso em formato e-Learning. Isso porque com a estimativa do período usado para capacitação, temos uma ideia do tempo que o colaborador deixará de investir em suas atividades de trabalho. Para que não haja prejuízos, pressão ou, até o contrário, momentos ociosos que desestimulem o colaborador, esse tempo de “parada” deve ser bem avaliado.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Saiba como motivar seu colaborador a aprender

A experiência de aprendizado impacta na performance do funcionário

Você já observou o comportamento de seus funcionários após um treinamento ou teve algum retorno a respeito de um curso ministrado: se estava interessante, se fez sentido para o aprendiz, se ele sentiu-se motivado com o conteúdo e com a forma de orientação? Preocupar-se com esse feedback é essencial para o sucesso do aprendizado. Portanto, se por falta de tempo está difícil dar atenção para o retorno do time, é hora de rever os planos e a agenda.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Conhecimento fora da sala de aula

O e-Learning conquistou espaço no mundo empresarial

Depois do crescimento das universidades corporativas, físicas e com aulas presenciais, na década de 1990, foi a vez do Ensino a Distância (EAD) ganhar espaço no mercado de trabalho. Isso por conta dos avanços tecnológicos e, claro, pelas necessidades das empresas: falta de tempo para treinamento de funcionários, dificuldade para reunir um grande número de colaboradores e, muitas vezes, verba restrita, já que fica mais caro cobrir despesas com viagens, alimentação, alugueis de espaços, entre outros serviços.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Programas para acabar com a baixa performance

Soluções que ajudarão a motivar seu time de colaboradores

Apenas 13% dos profissionais são comprometidos e sentem-se engajados para a realização de atividades nas empresas em que atuam, é o que aponta o instituto de pesquisa internacional Gallup, com base em uma pesquisa realizada com colaboradores em 142 países. Em outro levantamento mais segmentado, divulgado em abril deste ano, o instituto verificou que apenas 35% das pessoas em cargos de gerência nos Estados Unidos sentem-se motivadas em seus trabalhos.

Bem abaixo do esperado pelo mercado, esses percentuais assustam a qualquer gestor de RH ou empregador, visto que, cada vez mais, as instituições preocupam-se com a realização de seus funcionários, o que inclui, o prazer em praticar suas atividades diárias, a busca por novos desafios e o crescimento pessoal e profissional. Sem esses “requisitos”, a qualidade do trabalho pode cair, afetar outros colaboradores e, com isso, todos saem perdendo, inclusive, a empresa.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Três dicas para alavancar o e-Learning em sua empresa

Técnicas para criar uma cultura de aprendizado mais atrativa, engajadora e eficiente

Nossa memória é sábia. Ela registra detalhadamente tudo aquilo que precisamos usar no dia a dia. Assim, fatos, atividades e conhecimento são armazenados em nosso HD – o cérebro – e, quando precisamos, os resgatamos de forma tão rápida, que nem nos damos conta desse mecanismo extremamente avançado – e natural.

O que não é usado com frequência fica arquivado em “subpastas”. Justamente por isso que, muitas vezes, não nos lembramos de detalhes das aulas de História, daquele caminho que quase nunca fazemos ou até de alguma atividade exercida no passado.

Nesse sentido, reforça-se a ideia de que é preciso buscar técnicas para criar um e-Learning mais atrativo, engajador e eficiente para o time de colaboradores, provendo a esses aprendizes habilidades e conhecimentos para serem usados fora da sala de aula, ou seja, em cenários do mundo real. 





Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter