Como desenvolver uma cultura de e-Learning em sua organização

Destacamos algumas ações essenciais que vão além do investimento em alta tecnologia

De acordo com o site eLearning Industry, em 2012, organizações de todo o mundo desperdiçaram quase 131 milhões de dólares em treinamentos que não foram realizados e uma das principais razões para esse gasto sem aproveitamento algum é a ausência de uma cultura de e-Learning.
 

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Momentos de aprendizado

Pílulas de conteúdo permitem que o colaborador controle o tempo de aprendizagem de acordo com sua disponibilidade

Quem hoje consegue dedicar uma ou duas horas, sem interrupções, à leitura ou a qualquer outro tipo de material de treinamento, conciliando atividades profissionais, filhos, organização da casa, exercícios físicos? No geral, aproveitamos janelas entre uma reunião e outra, uma consulta e o horário do almoço ou alguns minutinhos antes do café da manhã (enquanto as crianças ainda estão dormindo) para ler e atualizar nossos conhecimentos.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Gestão de desempenho

Conheça o modelo Desenvolver-Alocar-Conectar

 

Pessoas conectadas 24 horas por dia, todos os dias, velocidade para fechar contratos e desenvolver soluções inovadoras: no mercado de trabalho atual, competitivo e acelerado, as empresas precisam garantir a qualidade de suas equipes para obter os melhores resultados. Para tanto, ter uma excelente estratégia de gestão de desempenho é fundamental. De que forma? Segundo o especialista no tema, Nick van Dam, tudo depende de um balanço cuidadoso entre “alta tecnologia” e “alto contato”.

 

Leia mais...

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Por que treinamentos falham?

Não basta contar com excelentes ferramentas de treinamento, é preciso aplicá-las de maneira correta

Treinamentos equivalem a investimentos não somente no desenvolvimento dos colaboradores, mas para o crescimento do negócio. Esse tipo de ação é o que diferencia as empresas e as torna membros de um grupo seleto – o das organizações com cultura de performance, reconhecidas pelos clientes, funcionários e mercado de forma geral.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Meritocracia de verdade

Processos estruturados que vinculem a estratégia organizacional às operações diárias e contribuições do colaborador, bem como seus planos de carreira, devem ser considerados na estratégia de gestão do desempenho e meritocracia

Parece natural que as pessoas sejam promovidas de acordo com seus esforços e também com os resultados atingidos, mas nem sempre é isso que ocorre. Em algumas empresas, as promoções mais parecem um sonho distante, apenas para indicações ou para aqueles que acumulam anos na casa. Entretanto, para conquistar uma cultura de performance, cada vez mais organizações passam a investir em um modelo de negócio no qual a meritocracia ganha espaço.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Programas para acabar com a baixa performance

Soluções que ajudarão a motivar seu time de colaboradores

Apenas 13% dos profissionais são comprometidos e sentem-se engajados para a realização de atividades nas empresas em que atuam, é o que aponta o instituto de pesquisa internacional Gallup, com base em uma pesquisa realizada com colaboradores em 142 países. Em outro levantamento mais segmentado, divulgado em abril deste ano, o instituto verificou que apenas 35% das pessoas em cargos de gerência nos Estados Unidos sentem-se motivadas em seus trabalhos.

Bem abaixo do esperado pelo mercado, esses percentuais assustam a qualquer gestor de RH ou empregador, visto que, cada vez mais, as instituições preocupam-se com a realização de seus funcionários, o que inclui, o prazer em praticar suas atividades diárias, a busca por novos desafios e o crescimento pessoal e profissional. Sem esses “requisitos”, a qualidade do trabalho pode cair, afetar outros colaboradores e, com isso, todos saem perdendo, inclusive, a empresa.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

4 motivos para se usar vídeos em treinamento


O uso de vídeo no e-Learning muitas vezes pode ter um papel importante na forma de aprender e reter informações. Estudos têm demonstrado que a aprendizagem com o auxílio do vídeo aumenta a taxa de retenção.

Como saber a hora certa de usar o vídeo para o seu treinamento? Aqui estão quatro motivos para explorar esse recurso:




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Cultura de Alta Performance – Parte 7: Meritocracia


Para atingir elevados níveis de desempenho organizacional e humano, e assim apresentar o que chamamos de Cultura de Alta Performance, uma empresa precisa estar atenta a sete pontos fundamentais:

1) Liderança
2) Alinhamento aos Valores e à Cultura Organizacional
3) Objetivos bem definidos 
4) Métricas e Indicadores bem definidos
5) Execução
6) Planejamento e Capacitação da Força de Trabalho
7) Meritocracia

Neste artigo abordaremos o sétimo ponto, a Meritocracia.





Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

10 razões para sua empresa investir em e-Learning


Neste artigo você encontra as 10 principais razões pelas quais você deve considerar investir em e-Learning corporativo, não importa o tamanho de sua equipe ou orçamento. Falaremos de como o e-Learning pode ajudar a reduzir os custos de treinamento e reduzir a rotatividade de funcionários.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter