Momentos de aprendizado

Pílulas de conteúdo permitem que o colaborador controle o tempo de aprendizagem de acordo com sua disponibilidade

Quem hoje consegue dedicar uma ou duas horas, sem interrupções, à leitura ou a qualquer outro tipo de material de treinamento, conciliando atividades profissionais, filhos, organização da casa, exercícios físicos? No geral, aproveitamos janelas entre uma reunião e outra, uma consulta e o horário do almoço ou alguns minutinhos antes do café da manhã (enquanto as crianças ainda estão dormindo) para ler e atualizar nossos conhecimentos.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Gestão de desempenho

Conheça o modelo Desenvolver-Alocar-Conectar

 

Pessoas conectadas 24 horas por dia, todos os dias, velocidade para fechar contratos e desenvolver soluções inovadoras: no mercado de trabalho atual, competitivo e acelerado, as empresas precisam garantir a qualidade de suas equipes para obter os melhores resultados. Para tanto, ter uma excelente estratégia de gestão de desempenho é fundamental. De que forma? Segundo o especialista no tema, Nick van Dam, tudo depende de um balanço cuidadoso entre “alta tecnologia” e “alto contato”.

 

Leia mais...

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Perguntas que salvarão sua estratégia de aprendizagem

Confira tudo o que o profissional de treinamento precisa saber sobre sua audiência antes de elaborar um curso

De que adianta reunir conteúdo e criar um curso que ninguém tem interesse? Para não correr o risco de se debruçar em algo que não vai ter impacto sobre seus colaboradores, você deve antes entender o que eles estão pensando. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Novo método de aprendizado – etapa final

A estrutura de um programa de aprendizagem para a força de trabalho do século XXI

 

O último post da série Novo método de aprendizado (modelo apresentado por Francisco Antonio Soeltl, presidente da MicroPower e da comunidade Learning & Performance Brasil, no livro e-Learning no Brasil: retrospectiva, melhores práticas e tendências) tem como tema a aplicação do design instrucional.

 

Leia mais...

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

A importância do reforço positivo

Muitos benefícios podem surgir a partir do momento em que os gestores passam a fornecer reforço positivo

 

Estímulo a um tipo de comportamento, o reforço positivo (inclusive em treinamentos online) pode não somente aumentar a confiança do colaborador em suas habilidades e na capacidade de cumprir tarefas, como também incentivar a motivação e o engajamento para o aprendizado.

 

Leia mais...

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Novo método de aprendizado – parte 2

A estrutura de um programa de aprendizagem para a força de trabalho do século XXI

 

No segundo post da série Novo método de aprendizado (modelo apresentado por Francisco Antonio Soeltl, presidente da MicroPower e da comunidade Learning & Performance Brasil, no livro e-Learning no Brasil: retrospectiva, melhores práticas e tendências) vamos tratar das etapas seguintes às Análises de aprendizado. Confira quais são elas!


Leia mais...


Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Aprendizado na medida certa

As atividades mudaram e as necessidades da força de trabalho também, por isso torna-se essencial investir em experiências de aprendizado personalizadas para os colaboradores

 

Para atender ao novo perfil de consumidor, as empresas perceberam que precisariam inovar em seus produtos e serviços, que oferecer mais do mesmo a todos não iria funcionar por muito tempo. Assim, elas passaram a investir em customização. Na economia atual, tudo é feito de acordo com o que o cliente precisa e deseja – do café ao carro, da casa ao pacote de viagem – e o aprendizado acompanha esse ritmo. Por que não acompanharia?

 

Leia mais...

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

As armadilhas da GC

Apesar do nome Gestão do Conhecimento (GC), o conhecimento não pode ser gerido, mas sim compartilhado e alavancado

Marc Rosenberg começa o capítulo sobre Gestão do Conhecimento (GC) – também conhecida como Knowledge Management (KM) – em seu livro Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional dizendo que em uma empresa inteligente, a GC “reside em ordenar a informação a partir do caos e transformar competências empresariais em ativos reais de negócios”. Para tanto, as estratégias variam. É possível começar codificando e preservando informações importantes; reunir e identificar o conhecimento a ser explorado e ministrado; focar no suporte aos usuários, entre outras estratégias.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Novo método de aprendizado

A estrutura de um programa de aprendizagem para a força de trabalho do século XXI

Sabemos que hoje as empresas mesclam atividades em sala de aula tradicional e no meio online, já que cada um tem sua importância e aplicabilidade no processo de aprendizagem. Como os dois modelos possuem características distintas, com funções e limitações, eles podem atuar de forma complementar, beneficiando negócios e pessoas.

No entanto, mais importante do que simplesmente o método, a qualidade do desenho do aprendizado é o que de fato determina a retenção do conhecimento, conforme destaca Francisco Antonio Soeltl, presidente da MicroPower e da comunidade Learning & Performance Brasil, no livro e-Learning no Brasil: retrospectiva, melhores práticas e tendências.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Escuta ativa – parte II

Apesar de ser uma das mais importantes habilidades, a maioria das pessoas não consegue ouvir atentamente. Saiba quais estratégias usar em seus treinamentos para estimular essa competência nos colaboradores

No primeiro post sobre escuta criativa, destacamos, entre outros pontos, a importância da interatividade e do feedback para incentivar os colaboradores a manterem a atenção aos conteúdos apresentados e às informações discutidas pelos colegas, de maneira que esse comportamento seja levado para fora dos treinamentos, ou seja, em suas relações profissionais e pessoais diárias.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter