A fonte certa

Você pode usar imagens, gráficos, vídeos, áudios para compor a melhor experiência de aprendizado para seu time, mas a principal fonte de seu e-Learning sempre será o texto

Ao elaborar um projeto de e-Learning, no geral, as grandes preocupações são: conteúdo, fotografias, sons, recursos tecnológicos. No entanto, alguma vez já pensou que a tipografia pode influenciar a imagem de seu treinamento e fazer com que ele pareça mais ou menos organizado ou até superficial? Mais importante, ela também impacta na atenção de seus alunos. 

As composições tipográficas têm como objetivo aliar alguns elementos-chave: visual atraente, legibilidade e contexto. Além disso, visam demonstrar a relação entre texto e os elementos gráficos presentes na página. 

Você pode usar imagens, gráficos, vídeos, áudios para compor a melhor experiência de aprendizado para seu time, mas a principal responsável pela “entrega”, o condutor de seu conteúdo e-Learning sempre será o texto. Por isso é muito importante ter conhecimentos básicos de tipografia e contar com a ajuda de um bom designer gráfico para a produç��o de conteúdo. 

Selecionamos algumas dicas (que serão divulgadas em mais de um post, afinal, esse tema é riquíssimo) para ajudá-lo nessa empreitada. Confira as ideias iniciais e se tiver alguma dúvida, compartilhe conosco!

A importância de conhecer e saber como utilizar as fontes

Diferentes fontes transmitem diferentes noções, tais como formalidade, descontração, profissionalismo etc. Por isso, escolha a fonte com atenção, de acordo com a sua audiência e com o conteúdo que será transmitido. 

Seu treinamento precisa ter coerência. Lembre-se de jamais usar mais do que três tipos de fontes, pois isso demonstra amadorismo, além de gerar confusão visual. Se quiser destacar ideias, invista na utilização de recursos como sublinhado, itálico, negrito e cores.

Use apenas uma categoria de fonte. Por exemplo, se você fizer um texto com uma fonte serifada, tente permanecer com o estilo até o fim do material para evitar confusão visual. Caso a mudança seja necessária, destaque-a. Utilize a fonte em cor ou tamanho diferente para que o leitor entenda a mudança como proposital e não um erro de design.

As principais fontes de categorias são:

Com serifa – Possui um traço horizontal extra em cada letra. Essa categoria bastante tradicional é a melhor escolha para materiais impressos, pois facilita a leitura. Alguns exemplos de suas fontes: Cambria, Garamond, Lucida Bright e Times New Roman.

Sans-serif ou sem serifa – As fontes mais populares estão nessa categoria, entre elas, Arial, Calibri, Gotham, Franklin Gothic, Helvetica, Lucida Sans, Tahoma e Verdana. Elas não possuem os traços horizontais ou prolongamentos no final das hastes dos glifos.

Script – Essa categoria imita a escrita e tem como característica principal “caudas longas”. Muito usada em convites de casamento, definitivamente, não é uma boa escolha para textos longos. Alguns exemplos de fontes script: Lucida Caligrafia, Escrita e Vivaldi.

Artísticas – Essa categoria abrange as fontes mais decorativas, no geral, bem difíceis de ler (por isso, devem ser usadas com moderação, mais como elemento artístico). Alguns exemplos delas: Broadway, Harrington, Monogramma, Estêncil e Zag.

Referência: Portal e-Learning Industry / Portal Chief of Design

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Pingbacks and trackbacks (1)+

Loading