Investimento estratégico em tempos de crise

Capacitação é uma das alternativas para driblar o momento atual

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), o desemprego subiu para 13,2% no trimestre de dezembro a fevereiro de 2017, com altas de 1,3 ponto percentual frente ao trimestre móvel anterior (setembro a novembro de 2016 -11,9%). A população desempregada chegou a 13,5 milhões e bateu o recorde da série iniciada em 2012. Este contingente cresceu 11,7% (mais 1,4 milhão de pessoas) frente ao trimestre encerrado em novembro de 2016 e 30,6% (mais 3,2 milhões de pessoas em busca de trabalho) em relação a igual trimestre de 2016.

Neste momento, diante de uma crise econômica e política no País, as empresas buscam por alternativas estratégicas para a sobrevivência dos negócios. Mais do que isso, é preciso se reinventar e oferecer aos seus clientes o que eles procuram como saída para os projetos engavetados e orçamentos minguados. 

Capacitação é a palavra de ordem no cenário atual
Em períodos de crise, muitas corporações redirecionam planos e enxugam os gastos, a fim de garantir o caixa positivo e não perder parte de sua equipe. Mas será que cortar custos é a única solução para driblar o cenário atual? Neste momento, é fundamental que as empresas invistam em seus colaboradores em busca de fazer a diferença frente aos concorrentes. As ações em treinamento e desenvolvimento de seu quadro de funcionários devem ser vistas como uma forma de conseguir atingir as metas estabelecidas, ou seja, isso também se aplica a gerir e reter talentos. Afinal, é a sua equipe que faz a diferença, são essas pessoas que elevam o nome da sua instituição. 

Para competir em um mercado cada vez mais concorrido, as empresas precisam garantir o melhor desempenho possível e isso, certamente, depende de seus profissionais engajados. “Os colaboradores mais capacitados tomam decisões mais assertivas, é quase que intuitivo. Quanto mais treinamento o colaborador tiver, mais confiança ele terá em um momento de negociação, de entender a real necessidade do cliente e oferecer a solução mais eficaz”, informa o diretor de Negócios da MicroPower, Augusto Gaspar. 

Gaspar alerta que mesmo que a organização consiga não reduzir o quadro de colaboradores e sobreviver com o tamanho que ela tem, é interessante que a empresa aproveite esse momento econômico, um pouco mais lento, para se capacitar frente aos concorrentes, para melhorar sua competividade.

Desmistificando o e-Learning 
Quando o assunto é treinamento e desenvolvimento dos colaboradores, os responsáveis pela área de recursos humanos buscam por ferramentas e soluções que se encaixem melhor ao ritmo e segmento em que atuam. 

Muitos ainda possuem dúvidas em relação aos treinamentos on-line, se são realmente efetivos. É preciso entender que estamos vivendo em um momento cada vez mais digital, onde as pessoas fazem exatamente tudo por meio de seus smartphones e, por isso, é necessário olhar com mais atenção às novas tendências de capacitação. Com certeza é a forma mais eficaz de engajar, principalmente, os alunos mais jovens. 

Para muitos, os cursos on-line, por serem, em sua maioria, customizados, feitos sob medida, tendem a ser caros e demorados. Mas essa não é a realidade e, claro, tudo dependerá da sua necessidade e do grau de dificuldade que seu treinamento exigirá. 

Gaspar explica que uma empresa que tenha, tradicionalmente, só treinamentos presenciais ou que possua parceiros externos e, que, neste momento, precisa reduzir custos, deve procurar mais informações sobre o e-Learning. Além disso, a organização terá uma equipe mais qualificada e com informações à disposição no momento que o colaborador necessitar. 

Com o passar dos anos, o e-Learning provou ser mais competente e rentável em comparação com a formação tradicional e uma maneira econômica de manter os funcionários atualizados sobre todas as mudanças diárias de novos e alterações de produtos. 
Os cursos on-line possibilitam também que sua equipe saiba exatamente o que precisam fazer no dia a dia, pois são feitos de acordo com as reais necessidades do segmento. O colaborador que não sabe exatamente o que ele precisa fazer, não será produtivo nunca. Só que só o treinamento, em si, não basta, ele precisa de outros recursos para se desenvolver. Precisa ser bem orientado e ter à disposição informações e ferramentas que ele precisa para realizar o trabalho, seja equipamentos ou materiais. O treinamento é fundamental para dar a base para a sua equipe, mas não basta só isso, é necessário uma série de complementos, até mesmo mudar a cultura da organização em relação à gestão do capital humano.

Qual é a melhor solução?
Não existe um modelo padrão, pois cada caso é um caso. Mas a ideia é que o treinamento se incorpore ao trabalho de sua equipe, para que ela não precise parar muitas horas para ser treinada. “Claro que existem as exceções, que é necessário dedicar um tempo maior. Mas quanto mais o treinamento for incorporado na rotina de trabalho, melhor”, aconselha Augusto. 

A inovação faz parte da rotina dos especialistas da MicroPower que são altamente qualificados para desenvolverem o curso ideal de acordo com sua necessidade. Hoje, é possível contar, por exemplo, com treinamentos divididos em módulos pequenos, que fazem sentido com o trabalho que a sua equipe desenvolve. 

Oferecemos cursos on-line – sob medida- criativos e lúdicos que contextualizam o objetivo do aprendizado, podendo ser de caráter esportivo, aventureiro, cotidiano ou humorístico. Cursos inovadores com riqueza e complexidade de recursos tais como animações, ilustrações personalizadas e interações diferenciadas que podem ser acessados em seu dispositivo móvel a qualquer hora e em qualquer lugar, de maneira rápida, prática e moderna.

Entre contato e veja como a MicroPower pode ser a solução que você busca e precisa.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading