Conhecimento fora da sala de aula

O e-Learning conquistou espaço no mundo empresarial

Depois do crescimento das universidades corporativas, físicas e com aulas presenciais, na década de 1990, foi a vez do Ensino a Distância (EAD) ganhar espaço no mercado de trabalho. Isso por conta dos avanços tecnológicos e, claro, pelas necessidades das empresas: falta de tempo para treinamento de funcionários, dificuldade para reunir um grande número de colaboradores e, muitas vezes, verba restrita, já que fica mais caro cobrir despesas com viagens, alimentação, alugueis de espaços, entre outros serviços.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Programas para acabar com a baixa performance

Soluções que ajudarão a motivar seu time de colaboradores

Apenas 13% dos profissionais são comprometidos e sentem-se engajados para a realização de atividades nas empresas em que atuam, é o que aponta o instituto de pesquisa internacional Gallup, com base em uma pesquisa realizada com colaboradores em 142 países. Em outro levantamento mais segmentado, divulgado em abril deste ano, o instituto verificou que apenas 35% das pessoas em cargos de gerência nos Estados Unidos sentem-se motivadas em seus trabalhos.

Bem abaixo do esperado pelo mercado, esses percentuais assustam a qualquer gestor de RH ou empregador, visto que, cada vez mais, as instituições preocupam-se com a realização de seus funcionários, o que inclui, o prazer em praticar suas atividades diárias, a busca por novos desafios e o crescimento pessoal e profissional. Sem esses “requisitos”, a qualidade do trabalho pode cair, afetar outros colaboradores e, com isso, todos saem perdendo, inclusive, a empresa.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Três dicas para alavancar o e-Learning em sua empresa

Técnicas para criar uma cultura de aprendizado mais atrativa, engajadora e eficiente

Nossa memória é sábia. Ela registra detalhadamente tudo aquilo que precisamos usar no dia a dia. Assim, fatos, atividades e conhecimento são armazenados em nosso HD – o cérebro – e, quando precisamos, os resgatamos de forma tão rápida, que nem nos damos conta desse mecanismo extremamente avançado – e natural.

O que não é usado com frequência fica arquivado em “subpastas”. Justamente por isso que, muitas vezes, não nos lembramos de detalhes das aulas de História, daquele caminho que quase nunca fazemos ou até de alguma atividade exercida no passado.

Nesse sentido, reforça-se a ideia de que é preciso buscar técnicas para criar um e-Learning mais atrativo, engajador e eficiente para o time de colaboradores, provendo a esses aprendizes habilidades e conhecimentos para serem usados fora da sala de aula, ou seja, em cenários do mundo real. 





Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

4 motivos para se usar vídeos em treinamento


O uso de vídeo no e-Learning muitas vezes pode ter um papel importante na forma de aprender e reter informações. Estudos têm demonstrado que a aprendizagem com o auxílio do vídeo aumenta a taxa de retenção.

Como saber a hora certa de usar o vídeo para o seu treinamento? Aqui estão quatro motivos para explorar esse recurso:




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Cultura de Alta Performance – Parte 7: Meritocracia


Para atingir elevados níveis de desempenho organizacional e humano, e assim apresentar o que chamamos de Cultura de Alta Performance, uma empresa precisa estar atenta a sete pontos fundamentais:

1) Liderança
2) Alinhamento aos Valores e à Cultura Organizacional
3) Objetivos bem definidos 
4) Métricas e Indicadores bem definidos
5) Execução
6) Planejamento e Capacitação da Força de Trabalho
7) Meritocracia

Neste artigo abordaremos o sétimo ponto, a Meritocracia.





Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

10 razões para sua empresa investir em e-Learning


Neste artigo você encontra as 10 principais razões pelas quais você deve considerar investir em e-Learning corporativo, não importa o tamanho de sua equipe ou orçamento. Falaremos de como o e-Learning pode ajudar a reduzir os custos de treinamento e reduzir a rotatividade de funcionários.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Cultura de Alta Performance – Parte 6: Planejamento e Capacitação da Força de Trabalho


Para atingir elevados níveis de desempenho organizacional e humano, e assim apresentar o que chamamos de Cultura de Alta Performance, uma empresa precisa estar atenta a sete pontos fundamentais:

1) Liderança
2) Alinhamento aos Valores e à Cultura Organizacional
3) Objetivos bem definidos 
4) Métricas e Indicadores bem definidos
5) Execução
6) Planejamento e Capacitação da Força de Trabalho
7) Meritocracia

Neste artigo abordaremos o sexto ponto, o Planejamento e Capacitação da Força de Trabalho.





Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Cultura de Alta Performance – Parte 5: Execução


Para atingir elevados níveis de desempenho organizacional e humano, e assim apresentar o que chamamos de Cultura de Alta Performance, uma empresa precisa estar atenta a sete pontos fundamentais:

1) Liderança
2) Alinhamento aos Valores e à Cultura Organizacional
3) Objetivos bem definidos 
4) Métricas e Indicadores bem definidos
5) Execução
6) Planejamento e Capacitação da Força de Trabalho
7) Meritocracia

Neste artigo abordaremos o quinto deles, a Execução.





Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Cultura de Alta Performance – Parte 4: Métricas e Indicadores bem definidos

Para atingir elevados níveis de desempenho organizacional e humano, e assim apresentar o que chamamos de Cultura de Alta Performance, uma empresa precisa estar atenta a sete pontos fundamentais:

1) Liderança
2) Alinhamento aos Valores e à Cultura Organizacional
3) Objetivos bem definidos 
4) Métricas e Indicadores bem definidos
5) Execução
6) Planejamento e Capacitação da Força de Trabalho
7) Meritocracia

Neste artigo abordaremos o quarto deles, as Métricas e Indicadores bem definidos.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter