Gamificação no aprendizado: as melhores experiências para impulsionar o treinamento corporativo

Gamificação no aprendizado
Nos últimos anos não estamos “consumindo” noticias da maneira como costumávamos. Podemos lembrar que houve um tempo, não muito distante, em que conseguíamos nos informar por meio de um único jornal. Hoje as coisas são bem diferentes. Buscamos informações em mídias diversas e a todo o momento. Olhamos um trecho do Twitter e portais de noticias pela manhã, um pouco do Facebook e Linkedin pela tarde, e talvez um artigo online sobre politica, prenda a nossa atenção no caminho de ônibus para casa. E sim, os smartphones e a internet são partes fundamentais dessa transformação. 
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

O desafio de treinar as gerações Y e Z

O desafio de treinar as gerações Y e Z
Para engajar esse novo tipo de profissional empresas recorrem cada vez mais aos estúdios de conteúdos, com aprendizado diversificado e customizado
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Seminário Web: sua maneira de vender, capacitar e interagir com outras pessoas

Sua demanda de reuniões, apresentações e palestras está aumentando? Sua equipe está geograficamente dispersa em várias cidades, estados e países? Não sabe o que fazer para manter essas pessoas treinadas e por dentro do dia a dia de sua organização? Temos soluções para atender essas e outras questões.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Gerações de conhecimento

Saiba como engajar seus colaboradores em diferentes necessidades de aprendizagem 

Para cada geração existem expectativas, necessidades, preferências e objetivos que devem ser considerados. Caso contrário, corremos o risco de excluir grupos específicos ou limitar o âmbito dos nossos cursos de e-Learning. Milênios e baby boomers são duas gerações que compõem a grande maioria do nosso público. Assim, os profissionais de e-Learning devem saber o máximo possível sobre quem são, e o que eles estão procurando em sua experiência e-Learning.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Por que escolher um LMS com padrão SCORM?


A adoção do padrão SCORM para a produção de cursos no formato e-Learning e na plataforma LMS (Learning Management System) tem como principal benefício a interoperabilidade, ou seja, a padronização técnica que garante a correta comunicação entre eles.

Para entender a importância de cobrar a certificação SCORM de seu fornecedor de cursos e de LMS, imagine o que aconteceria se precisasse trocá-lo sem que os cursos estivessem padronizados. O SCORM reduz o impacto das mudanças, facilita os processos de transição, concede flexibilidade, opção de escolha, além da reutilização de objetos de aprendizagem.

Facilidade na operação

O LMS ideal será capaz de gerenciar o conteúdo, assim você não precisa se preocupar com aspectos técnicos. Para o usuário, o curso se parece com um arquivo Zip quando publicado para SCORM. No entanto, esse pacote Zip contém todos os arquivos necessários para o curso rodar normalmente e ele estará pronto para ser carregado em qualquer LMS compatível com SCORM e depois entregues para os colaboradores.
Tudo o que você precisa fazer é importar o curso para o seu LMS. Isso possibilita que os administradores e os colaboradores trabalhem com uma interface de fácil utilização. O intuito é fazer com que você não se preocupe com problemas técnicos complexos e se concentre no trabalho estratégico e analítico que terá maior impacto sobre os resultados de aprendizagem e formação.

MicroPower Performa – LMS compatível com o padrão SCORM

O MicroPower Performa foi desenvolvido com base na experiência acumulada pela equipe de desenvolvimento e consultoria da MicroPower ao longo de centenas de implementações de projetos, no Brasil e no exterior, envolvendo sistemas para a gestão de processos de desempenho e aprendizagem). Além disso, ele apresenta um conceito inovador, que permite a utilização de múltiplos portais e múltiplos domínios. Essa característica possibilita a segmentação do ambiente por critérios variáveis de acordo com as necessidades e os objetivos de cada cliente. 

Entre em contato com nossos especialistas e veja como nosso LMS pode ajudar em seu treinamento!
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Como aprimorar a usabilidade do e-Learning

Duas dicas essenciais para estruturar seus conteúdos de maneira mais acessível

Facilitar a vida do colaborador deve ser uma das prioridades do profissional de treinamento e desenvolvimento. Dessa forma, sua atenção também precisa estar voltada para a criação de um material “user friendly”, simples e prático para ser acessado, mas ao mesmo tempo interessante e motivador.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Como criar learner personas

Ofertas mais adequadas e customizadas para cada colaborador garantem melhores resultados

Recentemente, falamos sobre adaptar o conceito do marketing que trata da identificação de buyer personas no campo da educação. Hoje, vamos esclarecer a ideia com alguns exemplos. Confira!



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Microlearning: como criar cursos curtos, porém efetivos – parte 2

Estratégias para desenvolver um microlearning de valor para os colaboradores

No post anterior, citamos três práticas que ajudarão a transformar seu “curso mais ou menos” em um microlearning impactante e efetivo – organização por storyboard, redução de texto e transmissão de conhecimento na medida certa. Hoje, temos três novas dicas. Confira!



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Microlearning: como criar cursos curtos, porém efetivos

Estratégias para desenvolver um microlearning de valor para os colaboradores

Mesmo com as organizações adotando cada vez mais o microlearning, ainda há pessoas com dúvidas sobre a efetividade das pílulas de conhecimento.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Como converter a queda de desempenho em alta performance

Ações que favorecem a gestão de desempenho e o engajamento de talentos

A queda de desempenho está atrelada a objetivos não compreendidos ou até não estabelecidos e expectativas frustradas dos dois lados – empresa e colaborador. Fatores diversos como a falta de incentivo, reconhecimento, comunicação ou integração, por exemplo, podem desestimular o bom profissional, que por sua vez passará a dedicar-se menos para obter resultados. Já para o contratante, a situação pode gerar problemas com outros colaboradores, baixo retorno para o que foi investido em mão de obra/projetos e queda na competitividade.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+