Liderança feminina

Assumir uma postura confiante, mesmo com receio e uma autocrítica ferrenha a respeito do que você conhece ou desconhece, é importante para criar oportunidades

Apesar de alguns avanços no sentido de uma sociedade mais igualitária, a mulher ainda enfrenta muitas dificuldades para conquistar boas oportunidades e posições de liderança no mercado de trabalho, além de salários compatíveis aos dos homens. 

A sociedade não estimula a ambição profissional feminina e chega a encará-la até de forma negativa. “Faz muito tempo que a cultura popular retrata as profissionais bem-sucedidas como mulheres tão consumidas pela carreira que não têm vida pessoal (pense em Sigourney Weaver em Uma secretária de futuro e Sandra Bullock em A proposta)”, ressalta Sheryl Sandberg, a mais alta executiva do Facebook, em seu livro Faça Acontecer: mulheres, trabalho e a vontade de liderar. 




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Planejamento de carreira: a responsabilidade está em suas mãos

Se você não tem um plano, pode estar à deriva no mercado ou, ainda, dependente do plano de alguém

Você já parou para pensar em qual cargo ocupará em cinco ou dez anos ou então quando e como deseja se aposentar? Sabe qual será seu próximo passo profissional? Se essas ideias ainda não são preocupações, muita atenção. Quando você não tem um plano, pode estar à deriva no mercado e, ainda, dependente do plano de alguém, o que no geral é muito arriscado.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Tecnologias de colaboração

Aspectos favoráveis e pontos de atenção das ferramentas de apoio das redes de conhecimento

Destacamos em posts anteriores o trabalho das comunidades do aprendizado e de maneira similar a elas, as redes de conhecimento também reúnem pessoas virtualmente. A diferença entre os dois formatos é que as redes são mais informais e crescem organicamente, afinal, toda pessoa mantém algum “facilitador para o alto desempenho”, contatos para recorrer em caso de dúvidas e outras necessidades. Não entendeu? Marc J. Rosenberg explica: 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Desafie-se e drible a timidez

Confira dicas que irão ajudá-lo a trabalhar a autoconfiança e jogar a timidez para escanteio

Frio na barriga, mãos suadas, bochechas quentes e coradas e a voz que vai embora no momento em que você mais precisa dela. Até que ponto a timidez pode atrapalhar? Muito, se 90% de suas tarefas diárias estão relacionadas a lidar com o público.

Contudo há pontos positivos na timidez. A ponderação é um deles. No geral, uma pessoa tímida só emite sua opinião quando tem certeza de algo e no momento mais oportuno. Além disso, esse perfil de profissional é observador, consegue estudar os cenários e chegar a um nível de detalhes impressionante. 




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Gestão da mudança

Aspectos importantes para empreender a mudança e torná-la duradoura

Quando uma empresa decide mudar seus processos e capacitar seus colaboradores, com o objetivo de conquistar alta performance, ela precisa dar o primeiro passo e rever todas as suas ações. Essa não é uma tarefa simples, já que empreender a mudança e torná-la duradoura não depende apenas de novos métodos e tecnologia. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Conhecimento, concentração e desenhos (ou rabiscos)

Exercite a mente com exercícios que mais parecem brincadeira de criança

Sabe aquele momento em que no meio de uma apresentação as ideias fogem? Até parece que elas fazem de propósito, danadinhas! Escapam diante de uma sala de conferência cheia ou no momento exato da reunião com aquele cliente importante. É claro que isso não é o fim do mundo, mas se é possível evitar, por que não treinar a mente?



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Fatores determinantes para o sucesso de comunidades do aprendizado

Não basta que as pessoas depositem conteúdos online. Elas precisam participar ativamente, disponibilizando conhecimento e tempo para gerar valor

As comunidades do aprendizado, também conhecidas como comunidades do conhecimento, funcionam como uma rede voltada à alta performance das organizações. Conforme destacamos no post Comunidades do Aprendizado, elas proporcionam o intercâmbio de informações e ajudam no processo de retenção de conhecimento e aplicação efetiva no negócio. 

No entanto, o sucesso dessas comunidades não acontece da noite para o dia. Isso porque não basta que as pessoas depositem conteúdos em uma plataforma online. Elas precisam participar ativamente, disponibilizando conhecimento e tempo para gerar valor. 




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Filhos e carreira

O equilíbrio do casal está no compartilhamento de responsabilidades, objetivos e conquistas

Embora homens e mulheres estejam assumindo as responsabilidades domésticas, ainda é muito maior o número de mulheres que trabalham fora e cuidam da casa e dos filhos. Conforme destaca Sheryl Sandberg, a mais alta executiva do Facebook, em seu livro Faça Acontecer: mulheres, trabalho e vontade de liderar, nos Estados Unidos, quando marido e mulher estão empregados em tempo integral, a mãe cuida 40% mais dos filhos e 30% mais da casa do que o pai. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Período sabático: você precisa?

O momento para dar uma pausa na carreira e refletir sobre suas escolhas

Você já pensou em dar um tempo na rotina agitada, fazer algo prazeroso e repensar seus objetivos? Se está nessa fase agora, considere um período sabático como uma das melhores opções. A tendência que começou entre altos executivos, cada vez mais, passa a ser estudada por profissionais que atuam em diferentes funções e áreas. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter

Sabotadores de carreira

Comportamentos que podem acabar com sua carreira: fuja deles!

O sucesso de uma carreira depende de diversos fatores, alguns deles (ou a maior parte deles) vindos do próprio profissional. Estar preparado tecnicamente é um bom exemplo. Quem sai da faculdade e não se especializa, não busca novas formas e áreas de aprendizado, acaba ficando para trás. O conhecimento precisa ser reciclado e, para isso, é muito importante estar em movimento, em contato com pessoas do meio acadêmico e do mercado, trocando informações e tendo acesso a novidades. 

O campo comportamental também exige muita atenção. De nada adianta o melhor currículo, se o candidato não tem espírito de equipe, é egocêntrico ou, até o oposto, por insegurança tem receio de se mostrar e inovar em seus projetos. “Mas eu não sou assim”, você pode estar pensando. Tem certeza? 




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter