Grupo Agis eleva o engajamento de sua equipe e conquista um aumento de 30% no número de acessos em sua plataforma de Gestão Integrada de Performance e Aprendizado

O Grupo Agis é a holding que controla as empresas Construtora Ferreira Guedes, Territorial São Paulo Mineração e ADtranz Engenharia e Sistemas.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Seu e-Learning está nas redes?

Aprimorando a presença social, é possível conquistar mais seguidores para seus treinamentos

A presença social estimula toda a experiência de e-Learning, aumenta as interações entre aprendizes e instrutores e também melhora o relacionamento entre os alunos participantes. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Treinamentos: quebre a rotina com jogos de enigma

Dicas para usar quebra-cabeças, palavras cruzadas, charadas, entre outros jogos, em seu e-Learning

Jogos como quebra-cabeças, palavras cruzadas, charadas e RPGs não são apenas uma diversão para o domingo em família ou um encontro de geeks. Pelo contrário, eles estimulam o cérebro e o pensamento lógico. No campo dos treinamentos, podem muito mais: aumentar a conectividade emocional, envolver o seu público, avaliar o conhecimento do colaborador e levar o e-Learning por um caminho inesperado.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

e-Learning: a importância da trilha sonora

A trilha sonora influencia o sucesso de um curso ou uma apresentação

A música tem um grande poder sobre todos nós desde muito cedo. Para se ter noção, nossa memória auditiva já começa a ser desenvolvida durante a gestação – o feto pode ouvir sons a partir da 21ª semana. Depois do nascimento, o bebê consegue reconhecer sons que ouviu regularmente durante a gestação, especialmente, vozes.

Ainda pequenos passamos a cantarolar, reconhecemos as trilhas sonoras de nossos programas e filmes favoritos, ou seja, nossa relação com sons torna-se cada vez mais forte. Com o tempo, relacionamos músicas a momentos marcantes de nossas vidas. 

Em treinamentos não poderia ser diferente. Uma trilha sonora definitivamente influencia o sucesso de um curso ou uma apresentação. A música cria respostas emocionais e se conecta instantaneamente às pessoas. Os tons da melodia estimulam a criatividade e criam conexão com sensações e situações com as quais o colaborador já está familiarizado. 





Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Programas de educação para vencer a crise

Educação: poderoso fator de diferenciação para profissionais e empresas

Não somente, mas especialmente em tempos de instabilidade econômica, a educação demonstra ser um poderoso fator de diferenciação para profissionais e empresas. Os profissionais devem buscar novos conhecimentos e qualificação para conseguirem destaque em meio a tantos concorrentes, enquanto as empresas têm uma grande responsabilidade em mãos: investir em capital humano – e assim aprimorar processos, serviços e produtos.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Aposte no uso do LMS para personalizar o e-Learning

Imagine uma empresa com diferentes divisões: há treinamentos comuns a todos os colaboradores, mas existem também conteúdos direcionados para cada funcionário, de acordo com seu campo de atuação e atividades realizadas

Fortalecer a estrutura da educação continuada envolve uma série de estratégias: envolvimento de todos os participantes e stakeholders, desenvolvimento de alianças, investimento no time de Treinamento e Desenvolvimento (T&D) e em soluções tecnológicas, levantamento de necessidades da empresa e dos colaboradores, seleção de conteúdos e formas de comunicação, entre outras. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Augusto Gaspar ministra palestra no Fórum Educação Corporativa a Distância 2015

Fórum abordou os conceitos e práticas inteligentes de educação corporativa apoiada em tecnologia

Ontem, 1º de outubro, Augusto Gaspar, diretor de soluções consultivas da MicroPower, participou do Fórum Educação Corporativa a Distância 2015, organizado pela revista T&D Inteligência Corporativa.

Na palestra “Melhores Práticas e tendências em e-Learning”, Augusto Gaspar explorou informações sobre melhores práticas de gestão, distribuição e execução do treinamento online com os exemplos práticos das empresas vencedoras do Prêmio Learning & Performance Brasil.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Treinamento a distância até pelo celular: sim, é possível!

Mobile learning: poupe verba e atinja mais pessoas

O mundo dos negócios tem passado por inúmeras mudanças nos últimos anos, não só com relação ao aumento da concorrência ou à evolução de produtos e serviços. As formas de treinamento também estão diferentes. As empresas inteligentes estão cada vez mais envolvidas com a capacitação de seus talentos e, graças aos avanços tecnológicos, esse processo está bem mais simples.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

O ensino a distância na prática

No e-Learning, o professor tem um papel parecido com o do roteirista e o do diretor de cinema. Se ele tem uma boa história (o conteúdo a ser ensinado), com algumas técnicas pode construir um bom filme ou um bom curso

Partindo do princípio de que o professor possui o conteúdo, antes de aplicá-lo em qualquer mídia eletrônica, é necessário conhecer alguns pontos importantes, entre eles o storyboard ou roteiro para cursos de educação a distância.

Para explicar melhor, podemos fazer uma analogia com o cinema: o professor assume o papel de roteirista e diretor do filme, tendo a responsabilidade de criar ou recriar um novo formato digital com base em uma versão presencial ou até mesmo literária que seja tão eficiente quanto a anterior.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

O desenho instrucional e sua importância para a EAD

Facilitar o aprendizado e garantir um estudo autônomo são preceitos do desenho instrucional

Quem não está por trás da produção de um treinamento, pode não saber de todos os esforços necessários para o desenvolvimento do conteúdo e da estrutura. Estuda-se o público-alvo, as necessidades de aprendizagem, a criação de personagens, entre outros fatores, com o objetivo de facilitar o aprendizado, tornando essa experiência mais interessante e proveitosa.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
MicroPower | Outros mitos do e-Learning

Outros mitos do e-Learning

O que ainda habita o “imaginário popular empresarial”

Selecionamos quatro novos mitos da obra Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, de Marc J. Rosenberg, para esclarecer para você. Confira! 

1 – O e-Learning eliminará a sala de aula
Mito! Por conta das facilidades do e-Learning, muitas empresas estudam reduções significativas em seus programas baseados em salas de aula. Algumas instituições inclusive chegam a ministrar 100% de seus treinamentos de forma online. Porém, após algum tempo de testes, concluem que a dependência excessiva de uma estratégia de fornecimento não é nem econômica nem efetiva.

O ideal é que o método presencial seja reformulado para formar com o e-Learning uma estratégia completa, que atenda a todas as necessidades dos diversos tipos de participantes. Assim, a sala de aula pode ser transformada em um espaço para debates em que equipes trabalhem de forma colaborativa para solucionar problemas complexos. 

2 – Apenas certos conteúdos podem ser ensinados online
Mito! Alguns temas podem até requerer reforço por meio de outros formatos de aprendizagem, como treinamento em sala de aula, oportunidades de prática ou acesso a instrutores. No entanto, conforme Rosenberg defende, por meio de uma abordagem de desenho instrucional adequada (conjunto de métodos, técnicas e recursos utilizados em processos de ensino/aprendizagem) é possível tratar de qualquer tipo de conteúdo de forma online, inclusive, aqueles relacionados a habilidades intangíveis, como liderança ou pensamento crítico.

3 – O valor do e-Learning é baseado na redução de custos 
Mito! É fato que o e-Learning efetivamente diminui os custos da oferta de treinamento. Mas boa parte das empresas também já constatou que essa modalidade de aprendizado pode gerar outros benefícios substanciais na produtividade dos trabalhadores, na velocidade da implementação do ensino e na redução do tempo para aquisição de competências. 

4 – Basta criá-lo e os resultados surgirão
Mito! Há duas questões que merecem mais atenção quando o assunto é resultado. A primeira está relacionada à adoção. É evidente que a empresa precisa ajudar os usuários para que eles assimilem e utilizem o e-Learning. Estimular e não apressar. Pressionar funcionários, parceiros ou clientes para que adotem o e-Learning só porque ele está disponível não necessariamente resultará em sua aceitação.

Outro ponto importante é conquistar financiamento. “Embora seja um processo dificultoso, descobrir patrocinadores executivos que realmente comprometerão recursos, inclusive, pessoas e dinheiro e investir o tempo de seus funcionários para a sua causa são medidas sensatas e um critério importante para que seu e-Learning seja bem-sucedido”, aponta Rosenberg.

Referência: Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, de Marc J. Rosenberg.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados