Tendências de aprendizado: mobile learning e gamification

Crie uma experiência de aprendizado extremamente prazerosa para os colaboradores investindo em mobile learning e gamification

Como criar treinamentos engajadores? Como desenvolver um treinamento efetivo com verba reduzida? Como simplificar um conteúdo muito técnico? Essas são algumas das dúvidas dos profissionais de treinamento. Nada mais natural, se levarmos em consideração o ritmo frenético do mercado, as novas tecnologias e a necessidade constante de atualização e capacitação dos colaboradores.

De acordo com o instituto de pesquisa americano Gartner Group, metade das empresas que investem em inovações terá alguma iniciativa baseada em jogos seja para dar feedbacks, seja para transmitir normas e procedimentos, entre outras finalidades. Somando esse dado ao número de pessoas com acesso a dispositivos móveis conectados (6 bilhões, segundo a Unesco), você não só pode como deve ficar animado a investir em uma estratégia que reúna mobile learning e gamification. 

Por quê? O motivo é realmente simples: os games engajam e proporcionam interação entre colaboradores e empresa, transformando de maneira divertida e descontraída conceitos em simulações. Já o mobile learning é a ferramenta mais conveniente e dinâmica, afinal, o dispositivo mobile acompanho seu colaborador em todos os lugares e momentos do dia.

Assim, você pode unir essas duas tendências em uma aposta certeira: desenvolver um game para smartphones e tablets. Destacamos alguns elementos que farão desta, simplesmente, a melhor experiência de aprendizado para seu time! Confira.

Limite-se a poucos objetivos
Seu game deve ter como foco um ou dois objetivos, no máximo. Isso facilitará o desenvolvimento da ferramenta (que precisa ser mobile-friendly) e também o processo de aprendizado e retenção do conhecimento por parte do colaborador. Tenha em mente que os acessos por ferramentas mobile acontecem com maior frequência, mas também são mais breves. 

Torne o game social
Estabeleça metas, pontuações, ranking, possibilite a ação de múltiplos jogadores, reconheça e premie os melhores colocados, ou seja, aproveite todas as oportunidades, especialmente, as sociais que os dispositivos móveis e os games oferecem! Isso permite que você incorpore a comunicação, além de uma competição saudável entre os colaboradores, o que irá engajá-los ainda mais tanto em suas atividades quanto no dia a dia do negócio.

Escolha uma plataforma segura 
A aprendizagem móvel oferece aos funcionários acesso facilitado às informações da empresa. Mas vale lembrar que os funcionários continuarão a navegar por diferentes sites e a usar mídias sociais pelos mesmos dispositivos que acessam o conteúdo corporativo. Por isso, é preciso escolher uma plataforma segura. 

O MicroPower Performa Mobile oferece segurança para colaboradores e empresas, além de facilitar o acesso a cursos EAD, conteúdos publicados na biblioteca e informações referentes a treinamentos presenciais, por meio de tablets ou smartphones com os sistemas operacionais Android e iOS. O login do Performa já está integrado com a solução mobile, ou seja, com usuário e senha em mãos, basta o colaborador escolher por onde deseja entrar no sistema: via desktop ou app mobile.

Para mais informações, entre em contato com nossos especialistas.

Referência: Portal eLearning Industry

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados
MicroPower | e-Learning: aprendizagem, resultados e inclusão social

e-Learning: aprendizagem, resultados e inclusão social

Conheça um pouco da história da cultura da alta performance

Quando uma empresa investe em programas de treinamento, ela trabalha principalmente por um mercado mais capacitado, com profissionais de peso, integração, inclusão social e, claro, melhores resultados. Todos esses fatores (aprendizagem, desempenho, resultados e inclusão) caminham juntos e, no Brasil, desde 1995, passaram a ser pontos de atenção para as instituições.

Conforme Nick van Dam detalha em sua publicação 25 Melhores práticas em aprendizagem e desenvolvimento de talentos, o movimento consistente do e-Learning foi encabeçado pela MicroPower e pela Fundação Bradesco.

A parceria se consolidou e, em 2001, foi criado o primeiro congresso de e-Learning do Brasil com apresentação de cases nacionais e internacionais. A partir de então, as iniciativas de aprendizado e desempenho se intensificaram apoiadas pelo lançamento do portal e do congresso e-Learning Brasil, mais tarde intitulado Learning & Performance Brasil.

Para que se tenha noção dos resultados obtidos com essas melhores práticas voltadas ao desenvolvimento do capital humano, entre 2002 e 2008, “os dados informados pelas 109 empresas participantes do prêmio apresentaram benefícios acumulados de R$ 2,9 bilhões, valor este que promoveu o retorno dos investimentos de R$ 1,3 bilhão em menos de seis meses”, detalha Nick van Dam.

A partir de 2008, esses valores evoluíram assim como a percepção dos profissionais que atuam na gestão do capital humano. Com o desenvolvimento tecnológico, ainda foi possível agregar novos recursos e ferramentas aos programas de treinamento para deixar a experiência de aprendizado ainda mais proveitosa e preparada para suportar os cinco pilares do gerenciamento dos talentos, que destacaremos em futuros posts:

  1. Gestão de objetivos
  2. Avaliação de desempenho
  3. Gestão de competências
  4. Gestão do aprendizado
  5. Planos de sucessão e carreira

Para conhecer um pouco mais a cultura da alta performance, entre em contato com nossos especialistas e acesse nossos conteúdos e soluções pelos sites Learning & Performance e MicroPower.

Referência: 25 Melhores práticas em aprendizagem e desenvolvimento de talentos, de Nick van Dam.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados