Gamification: três erros que podem ser evitados em seus treinamentos

Será mesmo que você está usando os games de forma correta?

Os games já viraram tema de pesquisas, reportagens, livros e são a mais nova iniciativa de treinamento e avaliação não apenas em multinacionais, mas em pequenas e médias empresas de diferentes segmentos. 

“Gamificar” está na moda! Brincadeiras à parte, o uso de ideias e mecânicas dos jogos em um contexto não diretamente relacionado com jogos – Gamificação (Gamification, em inglês) – engaja e proporciona interação entre colaboradores e empresa, transformando, de maneira divertida e descontraída, conceitos e experiências em simulações. 

No entanto, é comum algumas empresas darem tropeços e não usarem os games de maneira correta em seus programas de capacitação. Selecionamos três erros comuns, destacados pelo portal e-Learning Industry, para que você não acabe com uma estratégia de treinamento que tem tudo para ser bem-sucedida. Confira!
 
Generalizar jamais!
Os colaboradores não são iguais. Alguns irão adorar os jogos, envolver-se com a dinâmica, regras e objetivos. Mas há aqueles que ficarão na “defensiva”, no geral, os mais resistentes a inovações e tecnologias. Por isso, é preciso preparar o time e investir em estratégias educacionais complementares, como a leitura de um texto para debate, a apresentação de um vídeo relacionado ao tema do treinamento ou um podcast. Faça da Gamificação (Gamification) uma escolha! E mais: para os adeptos, personalize-a oferecendo diferentes estilos de jogos.

Muitas recompensas? 
Reconhecimento e recompensas são grandes motivadores e verdadeiros direcionadores de que se está indo pelo melhor caminho. Mas, quando o assunto é Gamification, é importante que os instrutores de treinamento tenham uma regra bem-definida: não recompensar tudo. Sair distribuindo pontos, vantagens e prêmios só deixará seus colaboradores confusos. Por quê? Pois é preciso se concentrar em quais comportamentos você realmente deseja influenciar.

Zero de envolvimento emocional?
O apelo emocional (no bom sentido) nos jogos pode alterar significativamente o comportamento dos funcionários, por isso não deixe de aproveitar essa estratégia em seus treinamentos. Você pode usar cenários que estejam relacionados ao dia a dia do colaborador e, ainda, fazer referência a situações importantes, como o primeiro dia de trabalho, a promoção esperada, a viagem de férias, o cuidado com a família. A conexão fará com que o participante fique mais aberto às ideias e relacione o que está sendo visto em curso com vivências pessoais (tanto atividades quanto sensações). Dessa forma, ele conseguirá reter o conhecimento com mais facilidade. Além disso, se você demonstrar ao time como a informação que está sendo ministrada será importante para ele, ou seja, destacar o valor que será agregado, você vai reforçar conceitos de formação em um nível emocional. 

Referência: Portal e-Learning Industry

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading