e-Learning: como engajar baby boomers II

Uma estratégia para tornar o e-Learning bem mais atrativo aos boomers

Dando sequência ao post sobre como usar a tecnologia para criar um e-Learning que seja mais atraente aos boomers, destacamos novas dicas de como estruturar seus treinamentos. Confira!

Aposte em diferentes atividades em grupo e online – uma das características mais marcantes dos boomers é saber trabalhar em grupo. Para eles, o trabalho coletivo equivale a um cenário fértil, cheio de novas possibilidades. Aproveitando esse ponto forte, você pode (e deve) propor uma série de atividades online para que eles realizem em grupo; ações que os estimulem a aproveitar suas experiências de vida e de carreira para propor novas ideias e soluções. Melhor ainda, integre as gerações! Monte equipes mistas, pares formados por boomers e Y, por exemplo. 

Dê feedbacks assertivos – quem gosta de receber críticas? Essa questão parece ser delicada para qualquer tipo de profissional, então por que seria diferente para os boomers? Por isso, você precisa de um sistema de feedback sólido. Antes de qualquer coisa, é importante que tenha um histórico de todas as ações propostas e metas desenhadas para cada profissional (com foco em sua carreira e perspectivas pessoais) e também para esse profissional como parte da equipe e do negócio. Com as informações em mãos, comunique de forma clara, isto é, argumente com um discurso que evidencie aquilo que não deve ser repetido e o resultado esperado, além de reconhecer realizações. Para tanto, você pode até considerar uma estratégia de Gamification que gire em torno de recompensas ou metas, permitindo que os colaboradores mantenham o controle de suas ações.

Deixe-os compreender o cenário completo – para os baby boomers realmente serem envolvidos no processo de aprendizagem online, eles têm de saber o motivo pelo qual estão participando dos treinamentos. Não basta simplesmente propor a atividade para conseguir 100% de participação e engajamento. É preciso demonstrar qual é o propósito, o objetivo por trás de cada atividade e-Learning “amarrando” esse elemento ao mundo real, às práticas diárias, necessidades e expectativas de cada colaborador. Eles precisam estar cientes dos benefícios que terão após a conclusão do curso, como o que eles vão ser capazes de fazer ou como o conhecimento irá melhorar a vida. 

Referência: Portal e-Learning Industry


Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading