Gamification: utilize mecanismos de jogos para engajar sua equipe

Motive e reconheça seu time para obter os melhores resultados em sua organização

Dentro de uma instituição de ensino, em uma sala de aula, a ideia de usar jogos como forma de aprendizado, não é algo novo. Professores e instrutores aplicam jogos como forma de envolver os alunos e aumentar o interesse. Embora isso possa ser verdade para a aprendizagem em sala de aula, para o ensino e a aprendizagem auxiliados pela tecnologia, a gamificação do processo e-Learning é uma nova metodologia, que ainda está sendo explorada. Por definição, a gamificação é o uso da mecânica do jogo para aplicações que não são do jogo. Em teoria, qualquer aplicação - uma tarefa, um processo ou contexto - pode ser gamificada. O objetivo principal da gamificação é aumentar o engajamento dos usuários usando técnicas semelhantes a jogos, como quadros de avaliação, prêmios e pontos. Isso faz com que os colaboradores se sintam mais envolvidos e motivados quando assumem as tarefas no ambiente de aprendizado. Mas o que é necessário para fazer os jogos funcionarem para o treinamento da força de trabalho?

Incorporando elementos do jogo nos treinamentos corporativos
O Gamification pode ser usado em vários contextos diferentes, mas para incorporar elementos de jogo em treinamento e aprendizado no local de trabalho, o mais crucial é a tarefa de integrar atividades e exercícios dentro do design do jogo. Criar jogos de aprendizagem a partir do zero com o objetivo de treinamento no local de trabalho é uma proposta que implica uma grande quantidade de recursos. Uma abordagem mais simples, ainda mais eficiente, é usar a gamificação para tornar o conteúdo mais atraente e envolver os usuários. Ao usar a gamificação no e-Learning, podemos encorajar um comportamento de aprendizagem mais eficiente e atraente. Para mudar ou encorajar um comportamento particular, o aluno precisa ser motivado e, ao mesmo tempo, ter a capacidade de resolver desafios.

Por exemplo, os alunos podem não ser conduzidos de forma clara para completar um curso de e-Learning, mas se seu aprendizado está em jogo ou eles estão conscientes do fato de que eles podem obter uma nota menor do que seus pares, a motivação definitivamente aumentará. A habilidade também é um fator que influencia a ocorrência de um comportamento. Mesmo que uma pessoa esteja altamente determinada, um comportamento não pode ocorrer se essa pessoa não tiver a habilidade. Por outro lado, a alta motivação pode incentivar um sujeito a encontrar os meios para realizar uma tarefa, ganhando capacidade. Às vezes, o comportamento específico precisa de um “gatilho” - uma chamada para a ação. 

O conteúdo do curso é seguido de exercícios e podem conter uma etapa de avaliação. Ao fazer os exercícios no final de cada seção, o aluno acumula pontos. No final de cada capítulo, o colaborador avança um nível, o que é uma conquista valiosa. Isso tem um efeito direto sobre seu status. Um posicionamento relativo entre os seus pares pode ser apresentado, bem como os melhores resultados, em uma tabela de classificação.

Em conclusão, a gamificação é uma forma de tornar a aprendizagem mais interessante e envolvente, sem prejudicar sua credibilidade. O Gamification ajuda os funcionários a ganhar motivação para aprender no local de trabalho. É uma metodologia bem-sucedida de treinamento no local de trabalho porque dá um impulso poderoso para aprender e alcançar sempre mais.

Quer saber como inserir o Gamification em seu treinamento? Entre em contato com nossa equipe e nos conte sua necessidade. 

Veja também:

Ref: elearningindustry
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading
MicroPower | e-Learning + tablet: como criar um material interessante e de fácil acesso

e-Learning + tablet: como criar um material interessante e de fácil acesso

Conheça os principais elementos considerados para a criação de cursos e treinamentos que serão acessados pelos colaboradores via tablet

A tecnologia móvel promete revolucionar ainda mais a maneira como vivemos e aprendemos. As pessoas estão mais conectadas e o uso de dispositivos móveis vive um processo de popularização jamais visto. 

De acordo com dados da mais recente Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio 2014 (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada no dia 13 de novembro, o Brasil ganhou 9,8 milhões de novos internautas entre 2013 e 2014. 

A forma como as pessoas acessam a internet também está mudando. Pela primeira vez desde 2004, caiu o número de microcomputadores (desktop, notebooks, netbooks e ultrabooks) na casa dos brasileiros e uma das possibilidades consideradas pelos pesquisadores do IBGE é o crescimento dos outros meios de acesso à internet, como smartphones e tablets, ainda não incluídos no estudo. 

Acompanhando esse novo cenário, os profissionais que atuam nos campos de Treinamento e Desenvolvimento preocupam-se em criar um e-Learning mais completo, com conteúdos que envolvam vídeos, imagens e recursos gráficos para serem usados em dispositivos móveis. 

Selecionamos algumas dicas específicas para a criação de cursos e treinamentos que serão acessados via tablet. Confira!

Pense na resolução: uma tela de tablet é menor que a tela de um computador tradicional ou a de um laptop. Por isso, é preciso pensar em um design responsivo que mantenha a identidade do curso, mas também leve em conta as especificações e normas técnicas de cada dispositivo, justamente para facilitar a navegação.

Utilize grandes botões: imagine que o colaborador não vai ter o auxílio de nenhuma outra ferramenta, além do próprio dedo para clicar em imagens e outros ícones em destaque no curso. Por isso, facilite! No lugar de um hiperlink extenso, opte por botões e ícones grandes que facilitem a navegação e o toque do usuário. Essa mesma regra se aplica a todos os botões de seu curso e-Learning, ou seja, inclua em locais de destaque (frente ou no centro da página) ícones de navegação e destaque os “botões” usando cores fortes e fontes diferentes (porém de fácil leitura).

Atente-se aos tamanhos de imagens: pense muito bem nas imagens que irão compor seu curso, pois se a imagem for maior que a tela e o colaborador precisar vê-la “aos poucos” ou se levar um longo período para carregar (imagine aqueles que contam com uma conexão de internet lenta), seu material cairá automaticamente em descrédito. Sua audiência não tem tempo a perder. Assim, tente compactar os arquivos de imagem e cortá-las para caber na tela do tablet. Para garantir que tudo está funcionando, acesse o curso em um tablet com uma conexão Wi-Fi lenta. Se funcionar dessa forma, seu curso provavelmente irá funcionar em qualquer lugar e situação.

Mantenha o fluxo de navegação: com uma navegação simples, você torna o acesso ao conteúdo algo fluido, natural. Se fizer do acesso um labirinto cheio de ramificações, sua audiência pode enfrentar dificuldades para administrar o conteúdo ou até para descobrir e clicar em todos os ícones. Guarde comandos mais complexos ou criativos de navegação para a experiência do desktop. Deixe seu conteúdo para tablet mais suave. 

Referência: Portal eLearning Industry

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Facebook Google+ Twitter
Loading