Como criar treinamentos e conexões globais

Os gestores responsáveis por desenvolvimento humano devem pensar em uma estratégia que esteja ligada à cultura empresarial, à cultura dos profissionais e as necessidades do time

Com profissionais distribuídos por todas as partes do mundo, é cada vez maior o número de companhias que investem em novas formas de treinamento e capacitação para o time de colaboradores. 

Tal fato já é inclusive demonstrado por instituições especializadas em análise de mercado, como a associação de negócios e pesquisa global The Conference Board. De acordo com Charles Mitchell, diretor-executivo de conteúdo de conhecimento e qualidade da entidade, o levantamento CEO’s Top Challenges 2015, realizado com cerca de mil líderes corporativos em todo o mundo, indicou que a atenção dos executivos está voltada para as habilidades e competências dos colaboradores (desenvolvimento e capacitação), além do engajamento e, claro, a questão da inovação.

Independentemente do tipo de treinamento, os gestores responsáveis por desenvolvimento humano na organização devem pensar em uma estratégia que esteja ligada à cultura empresarial, à cultura dos profissionais (idioma, costumes, legislação e outras particularidades) e às necessidades do time. 

Além da preocupação com a questão cultural, especialmente, com a tradução dos conteúdos (que deve ser feita por especialistas para que a mensagem seja transmitida sem erros gramaticais ou equívocos com expressões idiomáticas), a interação social é ponto fundamental.

Conforme demonstra Francisco Antonio Soeltl, presidente da MicroPower e do Instituto Learning & Performance Brasil, na obra e-Learning no Brasil: retrospectiva, melhores práticas e tendências, a atual força de trabalho quer ser parte da organização, deseja que seus talentos individuais sejam respeitados, busca uma comunicação aberta com seus líderes e, ainda, quer trocar conhecimentos e experiências com outros trabalhadores de diferentes departamentos, bem como diferentes regiões geográficas. Para esse time, a palavra de ordem é compartilhamento.

Dessa forma, percebemos que o estímulo das interações sociais ajuda a construir conexões para a integração dos colaboradores e, consequentemente, do negócio. A realização de videoconferências encoraja o aperfeiçoamento da capacidade de comunicação e da aprendizagem de línguas, agrega novos métodos para a execução de atividades e incentiva o pensamento inovador. 

A grande vantagem é que com uma boa tecnologia, temos a possibilidade de ficar conectados 24 horas por dia e 7 dias por semana sem custos de deslocamento, hospedagem, alimentação, alugueis de espaços para eventos ou salas de reunião. 

Quer saber onde encontrar a melhor ferramenta para suas videoconferências? Então acesse o site da MicroPower e conheça o MicroPower Presence – uma solução desenvolvida por nossos especialistas para promover eventos via internet ao vivo, dentro de um ambiente coordenado e voltado para atividades em grupo com organização e produtividade.

Contando com o apoio de recursos como áudio por IP (VoIP), videoconferência, exibição de slides do PowerPoint, aplicação de pesquisas, entre outros recursos, o Presence possui uma ampla variedade de funcionalidades para suportar o processo de preparação, programação e realização de um evento virtual via Web.

Para saber mais sobre a solução, você também pode acessar o site: www.micropowerpresence.com.br.

Referência: Portal e-Learning Industry e e-Learning no Brasil: retrospectiva, melhores práticas e tendências, de Francisco Antonio Soeltl.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados