e-Learning: conheça o perfil do novo usuário

As características do novo time de colaboradores que devemos considerar ao criar nossos cursos e-Learning

Com as novas gerações ingressando cheias de energia, novas competências e habilidades no mercado de trabalho, especialmente, no que diz respeito à tecnologia e inovação, temos um cenário de aprendizado em constante revolução, ou melhor, evolução.

Os novos usuários sabem navegar pelo terreno virtual como ninguém e prosperam nas redes sociais. Mas quais são as características desse novo time de colaboradores que devemos considerar ao criar nossos cursos em formato e-Learning? Confira a seguir!

Eles são sociais ou, pelo menos, virtualmente sociais. Querem compartilhar tudo, conectar-se a pessoas do mundo todo. Não têm receio de fazer perguntas e opinar em fóruns online ou em seus perfis virtuais. Eles preferem mandar e-mails ou mensagens de texto a fazer uma ligação. Isso significa que sua experiência de e-Learning deve ser de colaboração e interação social. Assim, você precisa incluir projetos online para serem realizados em grupo e social learning.

Eles são facilmente distraídos. Estão sempre pensando em um milhão de coisas e, ao mesmo, usando aplicativos, escrevendo ideias, recebendo e transmitindo mensagens para amigos e rede de contatos, acompanhando vídeos – tudo ao mesmo tempo e agora! Assim, é fácil perder a atenção de um deles. Grande desafio para profissionais de treinamento. Portanto, você precisa mexer com esses colaboradores de uma forma diferente e impactante, usando a mesma linguagem do ambiente em que eles dominam – a internet. Aposte em fotografias, vídeos, microtextos, podcasts, histórias com personagens com os quais eles tenham relação. Evoque sentimentos ou sensações como pertencimento, comunidade e compartilhamento.

Eles estão sempre em trânsito, a caminho, de um lado para o outro. Por isso, você precisa criar um aplicativo e ter uma plataforma que suporte o aprendizado via dispositivos móveis, disponibilizando conteúdo online e off-line, para que eles acessem quando quiserem e da maneira que preferirem. O conteúdo deve ser em formato micro, isso vale para todo tipo de "veículo" – texto, áudio ou vídeo.

Eles são independentes e não têm medo de procurar caminhos por conta própria para buscar conhecimento e alcançar objetivos. Eles também buscam experiências que lhes proporcionem controle sobre o processo. Que tipo de controle? Por exemplo, a possibilidade de escolher quando completar módulos online ou as melhores ferramentas para estudar  cenários interativos, podcasts ou outros recursos multimídia. Por consequência, a pesquisa de audiência é imprescindível para que você saiba exatamente o que oferecer. Lembra-se da ideia de criar uma abordagem centrada no colaborador, pois faça cursos sob medida.

Referência: eLearning Industry

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados