Por que investir em treinamento de liderança?

Um bom (ou mau) gestor afeta a performance de sua equipe, o que inevitavelmente é refletido nos resultados da organização

As organizações que investem em treinamentos e capacitações de liderança conseguem reter colaboradores e reduzir os custos de recrutamento e seleção. Isso porque o líder é responsável por engajar outros profissionais do time, ouvi-los e saber administrar os interesses e as potencialidades de cada um em favor do negócio.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Jogos instrucionais: inovação para seus treinamentos

Ao utilizar jogos e simulações como parte de sua estratégia educacional, a empresa investe em métodos muito mais prazerosos e engajadores para seus colaboradores atingirem metas e objetivos

Os jogos instrucionais propõem às pessoas a emoção do desafio, do conflito, da busca por novos caminhos para solucionar questões. As etapas e metas fazem com que elas experimentem uma nova maneira de aprender, explorando o sistema a fim de vencê-lo. 



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Três dicas de mobile learning

O que deve ser avaliado em sua estratégia de mobile learning

Por ser mais dinâmica e flexível, grande parte das empresas quer evoluir rapidamente para uma estratégia de aprendizado mobile. Natural, afinal, ela também é preferida pelos colaboradores, que já estão acostumados a andar com seus dispositivos “a tiracolo” durante o dia todo.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Os componentes de uma estratégia de aprendizado de sucesso

Integrar o aprendizado ao negócio é apenas um dos componentes importantes para o sucesso de uma estratégia de aprendizado 

Para garantir a alta performance, uma das mais importantes ações de uma organização é cuidar do desenvolvimento de seus talentos. O aprendizado em uma empresa inteligente é integrado aos seus processos e atividades. Dessa forma, segundo Mark Rosenberg, “a consideração das questões de aprendizado e desempenho ocorre muito mais cedo no desenvolvimento de novos sistemas, ferramentas ou processos de trabalho”, o especialista explica em seu livro Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Surpreenda com um e-Learning diferente

No atual ambiente de aprendizado, o colaborador deseja emoção aliada a informação e, claro, valor

Com tantas possibilidades de aprendizado e com a internet oferecendo um mundo de informações para o colaborador, se seu treinamento não for, no mínimo, surpreendente, ele não atrairá audiência.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Solução Educacional: o que é preciso para chegar lá?

Muitas ainda definem as estratégias de suas capacitações sem uma base sólida para a tomada de decisão

Apesar de diversas empresas terem evoluído e amadurecido seu processo de LNT, muitas ainda definem as estratégias de suas capacitações sem uma base sólida para a tomada de decisão. Geralmente o formato é definido de acordo com a urgência, "modinha" do momento ou até mesmo gosto pessoal de quem demanda. No entanto, para chegar à melhor decisão e fazer um investimento assertivo é preciso levar em consideração uma série de informações. Confira algumas delas!



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

e-Learning: entenda o que você está fazendo de errado

Aprenda com todas as experiências e fique de olho no que pode ser aprimorado para a criação de seu próximo projeto

O desenvolvimento do primeiro curso em formato e-Learning ninguém esquece. Não se sabe ao certo por onde começar, que tipo de informação levantar. À medida que criamos novos materiais, tudo fica mais simples. Sabemos o que emplaca, a melhor linguagem a ser usada, quais elementos audiovisuais mais interessam à audiência. Entendemos, principalmente, que não basta contar com excelentes ferramentas de treinamento, é preciso aplicá-las de maneira correta, de acordo com a necessidade do negócio e do time. 

Aprendemos muito com a observação de erros passados (dos nossos e com os dos colegas da área). A troca de experiências é muito importante para qualquer profissional de treinamento. Dessa forma, transmitimos a você algumas experiências que devem ser abolidas de seus próximos projetos. Atente-se a elas e avance algumas casas no tabuleiro da alta performance sem correr o risco de colocar tudo a perder.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Por um e-Learning acessível

Benefícios conquistados pelas organizações que trabalham pela acessibilidade do aprendizado

Em um mundo ideal, todas as pessoas teriam acesso à educação, ao aprendizado. No entanto, a realidade é bem diferente. Quando tratamos do tema e-Learning então, entramos em questões bem delicadas, como dificuldade de acesso a tecnologias, à internet, além de controle e restrição.

Por isso, se sua empresa pode proporcionar capacitação ao time de colaboradores, por que não investir na força de sua mão de obra? Afinal, quando uma organização adota programas de treinamento, ela trabalha principalmente por um mercado mais capacitado, com profissionais de peso, integração, inclusão social e, claro, melhores resultados.




Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

As melhores estratégias para detalhar processos complicados em treinamentos online

Fluxogramas, ilustrações, vídeos: confira como explicar processos e conceitos complexos no e-Learning

Procedimentos são ações orientadas por um passo a passo, por instruções. No ambiente profissional, frequentemente, realizamos procedimentos para aprimorar o trabalho, mitigar problemas e criar novos projetos e soluções.



Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+

Não perca a audiência

Estratégias para manter os colaboradores sempre interessados em seus treinamentos

 

A criação de conteúdo online requer habilidade e sensibilidade do profissional de treinamento para captar as necessidades e os interesses do time e do negócio e transmitir o conhecimento da maneira mais dinâmica e didática possível.

 

Leia mais...

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
MicroPower | Treinamentos: quebre a rotina com jogos de enigma

Treinamentos: quebre a rotina com jogos de enigma

Dicas para usar quebra-cabeças, palavras cruzadas, charadas, entre outros jogos, em seu e-Learning

Jogos como quebra-cabeças, palavras cruzadas, charadas e RPGs não são apenas uma diversão para o domingo em família ou um encontro de geeks. Pelo contrário, eles estimulam o cérebro e o pensamento lógico. No campo dos treinamentos, podem muito mais: aumentar a conectividade emocional, envolver o seu público, avaliar o conhecimento do colaborador e levar o e-Learning por um caminho inesperado.

Mas como é possível incorporar esse tipo de jogo em cursos no formato e-Learning de maneira eficaz? Selecionamos algumas dicas, confira!

Palavras cruzadas | Jogo ideal para testes de conhecimento e avaliação de e-Learning. Forneça aos seus colaboradores um jogo de palavras cruzadas virtual, que só poderá ser respondido com as informações ministradas durante curso. Deixe espaços em branco, certifique-se de que todas as instruções já foram dadas e deixe que o colaborador responda no seu tempo, conforme retoma leituras sobre os conceitos e relembra os conteúdos vistos em aula. É importante permitir que todos verifiquem as respostas à medida que avançam, para que possam obter feedback imediato, em vez de ter que esperar até o fim de rever todas as suas respostas.

Charadas e recompensas | Primeiro crie um enigma ou uma charada relacionada à proposta do curso. Depois, proponha aos participantes que solucionem um quebra-cabeças virtual. A cada sequência de três peças corretas (colocadas nos locais certos), será revelada uma parte importante do enigma. Ao finalizarem os módulos, ofereça aos colaboradores premiações e bonificações como recompensa. Isso estimula ainda mais o time a chegar ao fim do jogo (curso). 

Objetos interativos | Se incluir peças (ícones call-to-action) no jogo para que o colaborador clique e direcione o caminho do curso, tenha certeza de que seu e-Learning vai ficar bem mais interessante. Por exemplo: é possível criar um portal medieval ou mágico para que a audiência consiga clicar e, assim, tentar revelar um segredo (charada). A cada nova porta de entrada, mais dados sobre o conteúdo serão oferecidos. Com eles, o colaborador conseguirá galgar etapa por etapa do jogo e chegar ao desfecho. Esse tipo de desafio fará com que o jogador sinta que tem o controle da experiência nas mãos, o que é bastante estimulador, além de trabalhar questões como responsabilidade e iniciativa. 

Coletar e usar itens | Diversos jogos de aventura trabalham com esse conceito. Ao longo de sua trajetória no game, o colaborador pode ir coletando diversos objetos, que podem ser guardados em mochilas para serem usados no momento mais oportuno – como em cenários seguintes, onde os mesmos itens estão bloqueados ou em situações que necessitem o uso do objeto. Ao final, o colaborador encontra uma espécie de gráfico interativo ou quebra-cabeças com os pares ou peças-gêmeas dos itens previamente recolhidos. Se o profissional conseguir finalizar a imagem, conquista o conteúdo completo e ganha algumas posições no ranking de participantes. Para tanto, é possível criar alguns cenários específicos ou até fazer uma experiência mais imersiva e transformar todo o conteúdo do e-Learning em uma gincana educativa. Tenha como base os jogos de RPG (Role-Playing Game – jogo de interpretação de papéis), em que os próprios jogadores definem o enredo da aventura, desenvolvendo raciocínio lógico e criatividade.

Referência: Portal eLearning Industry

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados