Cultura organizacional: transmita o DNA de seu negócio para engajar o time

As organizações que conseguem fortalecer sua cultura têm como resultado mais envolvimento de seus profissionais

Há diferentes percepções sobre a imagem de uma organização. Colaboradores recém-chegados, por exemplo, começam a formar mentalmente o “quebra-cabeça” da empresa com base no que veem e nas opiniões de colegas que já estão na casa. Estes, por sua vez, acumulam experiências de diferentes gestões e momentos do negócio.

Por isso a importância de se manter a comunicação e transmitir os reais valores e objetivos compartilhados pelos membros da organização. Dessa forma, essas características-chave serão captadas da mesma forma por todos os colaboradores (novos de casa, veteranos, estagiários, diretores, profissionais do time de produção, criação, projetos, comunicação, finanças, seleção, comercial etc.), além de clientes e parceiros de negócios – acredite, a cultura empresarial também é transmitida para quem não atua dentro do escritório.

Conforme destaca em seu artigo Cultura e Engajamento – O Lado Invisível da Força, divulgado pelo site do Instituto Learning & Performance Brasil, Vicente Picarelli Filho, sócio de consultoria na Deloitte da área de Gestão de Capital Humano, “as organizações que conseguem criar uma cultura com forte significado para o trabalho dentro de um ambiente organizacional coerente estão obtendo um profundo envolvimento dos seus profissionais e superando seus concorrentes em atrair os melhores talentos”. 

Picarelli Filho também aponta que a cultura deve ser conduzida de cima para baixo, no entanto, a maioria dos líderes não tem uma boa compreensão sobre o assunto e, portanto, não sabe como influenciá-la e muito menos descobrir como modificá-la. 

Para ajudar quem busca as melhores estratégias para fortalecer a cultura organizacional, o profissional apresenta algumas sugestões, como pôr em prática programas em tempo real para avaliar os pontos fortes e de melhorias na cultura organizacional; incentivar os líderes a serem autênticos; ouvir as novas gerações.

Da mesma forma, é importante lembrar que não há treinamento que atue como ferramenta passível de mudar uma cultura empresarial ou que resolva problemas enraizados, como a falta de comunicação. Já fizemos um post falando sobre esse assunto (Alta Performance: invista no fortalecimento da cultura empresarial) e recomendamos a leitura do capítulo "Inserindo o e-Learning no contexto de uma estratégia global de treinamento", do livro Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, de Marc J. Rosenberg.

Invista em treinamentos, mas antes reavalie como andam os processos internos de sua organização! 

Referência: Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, de Marc J. Rosenberg, e Cultura e Engajamento – O Lado Invisível da Força, de Vicente Picarelli Filho.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Loading