Invista no compartilhamento de expertise – parte II

Abordagens que podem melhorar as chances de êxito no processo de compartilhamento de expertise

Dando sequência às abordagens citadas pelo autor Marc Rosenberg na obra Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, o post de hoje traz mais quatro iniciativas para aprimorar o processo de compartilhamento de expertise em sua organização. Confira!

Publique expertise quando ela se torna mais estável e repetível. Ao criar repositórios de conhecimento sobre temas específicos, os especialistas podem publicar conteúdo que seja frequentemente solicitado ou que eles acreditam que será útil para seus participantes e, então, alertar todos que o conteúdo está disponível. Assim, o especialista torna-se não apenas uma pessoa que detém as respostas, mas alguém com uma ampla gama de recursos informacionais para oferecer.

Indique onde as informações podem ser encontradas. Às vezes, o valor que um especialista traz à mesa é o conhecimento do local em que as informações podem ser encontradas. Estimule-os não apenas a responder perguntas, mas também para indicar às pessoas as fontes de informação que eles procuram.

Utilize técnicas diferentes de captura de conhecimento. Capturar expertise não é fácil. Provavelmente você encontrará situações em que os especialistas são incapazes de organizar, para não dizer publicar, seus próprios conhecimentos. Por isso, vale a pena tentar extrair o conhecimento apropriado de um especialista por meio de entrevistas, observações detalhadas e, às vezes, até ter os especialistas contando casos em vídeo, pois eles podem apresentar narrações de histórias interessantes e relevantes, além de insights com suas próprias palavras. 

Contrate seus instrutores. Você pode usar uma função de treinamento como um veículo para ajudar os especialistas a aprenderem a se comunicar com seus orientados, uma competência que os beneficiará enormemente no futuro. Esse benefício é realçado à medida que você recruta números crescentes de especialistas para funções de treinamento rotacionais e coloca os instrutores em posições de especialistas depois que sua tarefa no treinamento tiver sido concluída.

Referência: Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, de Marc J. Rosenberg.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados