e-Learning: como engajar baby boomers

Uma estratégia de e-Learning interessante e adequada para os diferentes tipos de colaboradores

Se as novas gerações já nascem totalmente “ambientadas” às tecnologias, os Baby Boomers são recém-chegados nesse campo. Por isso, alguns podem ser até mais relutantes quando convidados a participar de treinamentos online.

Assim, o desafio de muitos profissionais de treinamento é descobrir como usar a tecnologia para atrair esse público, fazendo os Boomers se sentirem mais confortáveis diante de algumas mudanças, como novos sistemas, mídias e formas de trocar o conhecimento. 

É claro que não podemos generalizar. Há muitos Baby Boomers tech-savvy, que conhecem tudo e mais um pouco de tecnologia, vasculham sites, sabem de todos os produtos lançados no mercado, participam de fóruns e comunidades virtuais. Por isso, você deve estar atento à maneira como irá estruturar uma estratégia de e-Learning interessante e adequada para os diferentes tipos de colaboradores.

Selecionamos algumas sugestões para ajudá-lo e dividimos em dois posts. Confira a primeira seleção de dicas!

Navegação simples e intuitiva – independentemente de sua audiência contar com colaboradores mais ou menos acostumados com tecnologias, você deve pensar em criar cursos com interfaces intuitivas e fácil acesso ao conteúdo do e-Learning. Destaque temas importantes, colocando seus ícones em locais visíveis. Use imagens, vídeos, links, ou seja, instigue a curiosidade do colaborador e faça-o clicar instintivamente.

Aproveite as experiências pessoais – os Boomers acumulam experiências valiosíssimas, que podem muito bem ser aproveitadas em seus treinamentos online. Como? Desenvolva atividades para encorajá-los a explorar situações e tópicos relacionados às suas vivências, aos temas que eles possuam mais conhecimento (com base em seus currículos ou até experiências pessoais). Deixe-os descobrir saídas para questões por conta própria, mas sempre propondo a troca com colegas e pares no ambiente online.

Deixe-os trabalhar com independência – os profissionais com mais tempo de vivência no mercado de trabalho gostam de ter autonomia para tomar decisões, por isso, será interessante dar aos Boomers controle completo sobre como irão trabalhar os módulos de seus treinamentos. Encoraje-os a estabelecerem metas para si próprios e, mais, levante suas ideias e sugestões para aperfeiçoar os próximos treinamentos. Saber que suas ideias são importantes e que eles poderão contribuir para o aprimoramento dos cursos online será motivador para esse time!

Referência: Portal e-Learning Industry

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados
MicroPower | Alta Performance: mantenha o progresso

Alta Performance: mantenha o progresso

Manter o desenvolvimento em uma organização requer investimento em inovações não só tecnológicas, mas também conceituais e comportamentais

Para atingir os melhores resultados nos negócios, é preciso estar atento ao que os clientes buscam e desejam como inovação, ao que os concorrentes estão fazendo, à melhoria de processos e equipamentos, ao desenvolvimento dos colaboradores, entre tantos outros fatores.

No campo do Treinamento e Desenvolvimento de pessoas é necessário o mesmo investimento em ações e tecnologias. “Mover-se além do pensamento dominante e das percepções do e-Learning provavelmente demandará que você reinvente o modo como o trata e o pratica. Você deve refletir a necessidade por velocidade e eficiências maiores, e a emergência do novo pensamento sobre o aprendizado e o desempenho”, descreve Marc Rosemberg em seu livro Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional.

Para o profissional, “chegar lá” ou manter o progresso de uma organização envolve a aderência a quatro princípios fundamentais. Confira quais são eles!

  1. Preste atenção aos sinais de alerta. Não seja complacente. Procure ao seu redor sinais indicadores de que suas iniciativas estão em apuros ou rumando para eles. Não ignore suas deficiências.
  2. Reinvente o que você faz. Se você tiver programas existentes que não estão cumprindo seus objetivos, repare-os. Analise e recrie seus processos e defina as altas prioridades, especialmente, nas áreas de identificação de problemas, avaliação de resultados e suporte à qualidade. A reinvenção nem sempre consiste em descartar as coisas que existem; preferentemente, ela é sobre melhorar o que você está fazendo e prosseguir a partir desse ponto.
  3. Redefina seu mundo. Expanda os parâmetros do que o aprendizado pode ser. Novas tecnologias e novos requisitos estão mudando o cenário do e-Learning e o papel do treinamento.
  4. Coloque-se na posição de realizar grandes feitos. Lute por um lugar na mesa – a mesa de liderança nos negócios. Significa inserir-se no ambiente de trabalho e tornar-se um parceiro valioso na solução de problemas reais de negócios com os menores prejuízos possíveis ao trabalho.
Referência: Além do e-Learning, abordagens e tecnologias para a melhoria do conhecimento, do aprendizado e do desempenho organizacional, de Marc J. Rosenberg.
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados