MaxiProfit, ferramenta para a produtividade

MaxiProfit, ferramenta  para a produtividade

Metodologia da PM International Consulting com software da MicroPower aumenta a produtividade do trabalho nas empresas em até 400%


Produtividade. Essa é a palavra de ordem em um país que, em 40 anos, viu cair fortemente a capacidade de produção de seus trabalhadores em relação a asiáticos e norte-americanos. Para se ter uma ideia, um profissional nos Estados Unidos produz o equivalente a cinco brasileiros, enquanto um japonês faz o mesmo que quatro dos nossos. Ocupando hoje a 75ª posição no ranking de produtividade da instituição The Conference Board e a 81ª na lista de competitividade global (Relatório Global de Competitividade 2015-16), as empresas brasileiras têm a pior rentabilidade dos últimos 50 anos.


Mas é possível fazer alguma coisa para reverter esse quadro? O consultor Pedro Martins, da PM International Consulting, tem se dedicado a isso nos últimos 37 anos por 26 países e diz que sim. Em parceria com a MicroPower, ele acaba de lançar a última versão do MaxiProfit, que utiliza o seu modelo já testado e aprovado de gestão sistêmica reunindo estratégia, processos, desempenho e pessoas, garantindo, em apenas um ano, aumentos de produtividade do trabalho de até 400% e ganhos de até 30% nos resultados operacionais. E isso com avanços significativos já nos primeiros três meses e um grau de certeza de 97%. 


“Usando a mesma mão de obra disponível, as melhores multinacionais presentes no Brasil registram índices de produtividade muito parecidos com os que apresentam em outros lugares do mundo, mas muito melhores do que as empresas brasileiras. Portanto, há espaço para se obter esses ganhos, pois basta fazer o mesmo que as multinacionais já fazem aqui”, afirma Pedro, que encontrou na MicroPower o parceiro ideal para dotar a sua metodologia de uma ferramenta tecnológica confiável. 


Ele conta que trabalhou antes com outras soluções tecnológicas para implementação da sua metodologia, mas a que resultou da parceria com a MicroPower é muito melhor: “Já tive três ou quatro softwares, mas nenhum deles era tão satisfatório”, afirma Pedro, admitindo, porém, que isso acabava por tornar a venda mais difícil. “Quando vendia a metodologia, o cliente ou tinha que contratar uma terceira empresa para isso ou tinha que desenvolver o software internamente. A ferramenta, agora, está muito boa”, afirma.


O software desenvolvido para o MaxiProfit é totalmente novo, mas utiliza a experiência adquirida pela MicroPower ao longo dos últimos 10 anos, com a criação e aperfeiçoamento do Performa. Sistema ERP (Enterprise Resource Planning) de capital humano para gestão integrada de performance e aprendizado, o Performa permite gerenciar objetivos, desempenhos, competências, aprendizado e aspectos de sucessão e carreira de colaboradores dentro de uma organização. 


O CEO da MicroPower, Francisco Soeltl, diz que a parceria com a PM International Consulting foi algo natural, pois, além das atividades complementares, há sinergias e alinhamento de valores e princípios: “Ambos queremos encantar nossos clientes e estimular o desenvolvimento das pessoas focando em resultados sustentáveis. Ambos compartilhamos uma causa comum: promover a Alta Performance nas organizações e melhorar continuamente a produtividade das pessoas”.

 

Produto premium 

Com um software robusto e uma metodologia única e de sucesso, Pedro Martins afirma que o MaxiProfit é um produto premium no mercado: “Existem muitos modelos de avaliação de desempenho de pessoas e há também modelos de gestão do desempenho das pessoas. Mas, modelos de gestão do desempenho do negócio por meio da gestão das pessoas, como o MaxiProfit, são raros no mercado”, afirma, salientando que estes têm a sua eficácia medida pelo resultado do negócio. 


Como as empresas brasileiras não podem exercer influência sobre os fatores externos que reduzem a sua competitividade, como legislação e infraestruturas, elas precisam aprimorar a própria gestão: melhorar a produtividade, reduzir custos e, com isso, melhorar a rentabilidade. “Em uma era exponencial, em que tudo acontece muito rápido, só uma ferramenta como o MaxiProfit consegue obter os resultados espetaculares de melhoria da produtividade do trabalho em até 400%”, assinala Pedro.


O trabalho de Pedro, totalmente taylor made com base em metodologias criadas por ele, começa com a definição da cadeia sistêmica de valor do cliente, a fim de entrelaçar todos os departamentos da empresa e redesenha seu organograma. 


O consultor explica que essa parte do trabalho é fundamental: sentar com os executivos e estabelecer os grandes objetivos da companhia, elencando em uma cadeia de valor sistêmica às áreas da empresa que são fundamentais para atingi-los. “Ninguém faz isso, porque normalmente as empresas são organizadas por atividades e não por finalidade” diz. Leone Claudino Pinheiro, CEO do Grupo N. Claudino afirma que “esse redesenho da gestão gera uma maior clareza dos propósitos, tornando a equipe mais produtiva e o resultado rentável”.


O modelo se aprofunda, estuda a empresa, e desenvolve soluções específicas, identificando cinco ou seis principais atividades geradoras de resultados de cada função. “Nós invertemos o princípio de Pareto para que a empresa passe a dedicar 80% do tempo àqueles 20% de atividades que fazem a diferença no resultado do negócio. Só aí, ganhamos os 400% de produtividade”, ressalta Pedro. 


Em seguida, são identificadas as competências técnicas e comportamentais para cada uma das atividades selecionadas. Só então, o modelo de gestão de desempenho é implementado com a capacitação de todos os colaboradores da empresa que aprendem a usar as ferramentas do MaxiProfit. 


Metas sistêmicas para toda a organização

As metas e os objetivos são, então, definidos e desdobrados para a organização de forma sistêmica, e o desempenho de cada colaborador é monitorado continuamente. 


Todas as metas individuais são relacionadas com as do superior hierárquico e com os pares, o que cria interdependências. É possível isolar uma meta do presidente da empresa e saber como cada pessoa contribui para a realização dela. Da mesma forma, é possível ver como os pares se comportam nas metas comuns. “O nosso sistema diz o que cada um tem que fazer e como fazer. Assim, a probabilidade que a pessoa tem de atingir o resultado é muito maior, já que o gestor vai trabalhar diariamente com essa ferramenta, explicando à equipe como fazer e monitorando todos. Porque o trabalho do gestor não é fazer, mas fazer os outros fazerem. E essa é a melhor ferramenta que existe para isso”. 


A utilização do software do MaxiProfit é muito intuitiva. Por exemplo, numa única tela pode ser visualizado o organograma da empresa, com o contributo de cada colaborador, a cada momento, para cada uma das metas estratégica, tática e operacional da empresa. “Como as metas são desdobradas em cascata e painel por toda a organização, podemos checar a consistência do modelo, pois a única maneira que o líder tem de atingir a meta é fazer com os membros da sua equipe também a atinjam”, diz.


O software permite monitorar continuamente o desempenho de cada um dos objetivos estratégicos da empresa, possibilitando a correção de eventuais desvios de rota também em tempo real.


Informação para tomada de decisões

Entre os muitos dados gerados pelo MaxProfit, destacam-se:


  • Indicadores de HR Analytics
  • Organograma funcional
  • Pré-mapeamento de macroprocessos
  • Descrição de funções por job delivery
  • Modelo de competências técnicas e comportamentais para cada função com níveis de complexidade
  • Indicadores para assessment, recrutamento e seleção
  • Implementação da estratégia da empresa no nível tático e operacional
  • Match entre perfis de todos os colaboradores com todas as funções
  • Indicadores para progressão de carreira por competency certification (incluindo carreiras em y)
  • Ranking automático dos profissionais mais capacitados para cada função
  • PDI e monitoramento contínuo do desenvolvimento e desempenho de cada colaborador
  • Constituição automática de turmas de treinamento para cada competência
  • Administração automática do orçamento da remuneração variável em função dos resultados da empresa
  • Cálculo do prêmio individual de desempenho para cada colaborador
  • Business coaching dos gestores
  • Transferência do know-how do MaxiProfit para os business partners.


Meritocracia com rigor e transparência

O MaxiProfit garante ainda uma política de prêmios de desempenho com base na meritocracia, transparência e rigor, graças a um modelo matemático exclusivo para avaliação de desempenho. Ele assegura a exata correlação entre o desempenho individual e o contributo de cada um para os resultados do respectivo departamento e empresa, corrigindo 97% da subjetividade das avaliações. Isso dispensa os intermináveis e subjetivos comitês de calibragem, as conflitantes avaliações 360º e as irrealistas curvas forçadas. 


O modelo também calcula o valor da massa dos bônus totais em função do resultado global da empresa. O sistema permite criar simulações para diversos cenários de resultados globais da empresa, mesmo para os resultados adversos e sem prejudicar os colaboradores que mais se destacam. 


Ao longo de 25 anos deste modelo, as opiniões de clientes comprovam o sucesso da metodologia. Franco Bechere, CEO da Siemens HVP, afirma que ela “criou uma cultura de alto desempenho que, depois de sete anos, ainda contribui para a liderança do nosso negócio”. Já o CEO do Banco Volkswagen entre 2001 e 2016, Décio Carbonari de Almeida, conta que o modelo “promoveu o desenvolvimento sustentável” dos Recursos Humanos da instituição.


A metodologia, que assumiu denominações diferentes de acordo com cada empresa onde foi implementada, já obteve o reconhecimento público de vários clientes, como o President’s Council Honours da General Motors Corporation, em 1997. Este prêmio foi atribuído ao projeto P-1500 (MaxiProfit), reconhecendo a sua “originalidade e criatividade superior em fazer contribuições significativas e exemplares para a realização dos objetivos de negócios mundiais da GM”. Ou ainda o Prêmio Reconhecimento do Grupo Volkswagen, concedido ao projeto SPeM – Strategic People Management (MaxiProfit). Entre mais de 3 mil projetos candidatos, ele foi considerado o programa de gestão com maior impacto global do Grupo Volkswagen em 2009. 

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Loading