Diversidade etária no ambiente corporativo

Compreendendo as percepções, os valores e as necessidades de aprendizagem e desenvolvimento de seus colaboradores de diferentes gerações, você pode mantê-los sempre engajados

Na atual população ativa global, há quatro gerações trabalhando lado a lado: os baby boomers e a gerações X, Y e a Z. Cada uma delas com diferentes atitudes para enfrentar seus trabalhos, carreiras e aprendizagem. 

A entrada expressiva das gerações Z e Y e o desligamento tardio dos baby boomers mostram uma importante realidade dentro das organizações de diferentes tamanhos e segmentos: o desafio de gerir e capacitar colaboradores de diferentes faixas etárias. O que exige, consequentemente, uma atenção ainda mais especial das áreas responsáveis pelo desenvolvimento humano. 

Neste cenário, onde a diferença de gerações se faz completa no ambiente corporativo, a capacitação personalizada, utilizando uma única plataforma, se torna cada vez mais necessária, a fim de atrair e reter colaboradores e explorar a troca de experiências, ideias e atitudes. 

A parceria entre essas forças pode formar uma organização com bases sólidas e, ao mesmo tempo, inovadora. Mas além de contribuírem cada uma a sua maneira, elas também aprendem de forma diferente.

Por onde começar?

As pessoas nascidas entre 1980 e 1990 são consideradas pertencentes à geração Y, também chamada da geração da internet, ou Millenials. Esta geração é agora uma parte significativa da composição geral da força de trabalho da maioria das organizações em todo o mundo.

Os millennials tiveram uma educação diferente em comparação com seus antecessores (geração X e Baby Boomers) e, portanto, merecem ser tratados de forma diferente. O que pode ter funcionado para as gerações anteriores pode não funcionar com os Millennials, tornando importante que os profissionais de Aprendizagem e Desenvolvimento criem treinamento corporativo para os Millennials, entendendo o que lhes interessa, o que os diferencia e o que chama a atenção para ajudá-los a aprender 

Os “Ys” e os “Zs” formam as primeiras gerações que cresceram com os computadores e a Internet como partes de suas vidas. A experiência contínua no mundo conectado em redes tem tido um impacto profundo em suas abordagens no tocante à resolução de problemas e à colaboração.

E dentro dessa realidade, o e-Learning, ou aprendizagem eletrônica, é uma modalidade de ensino à distância bem utilizado nos últimos anos. Hoje, com o avanço das novas tecnologias, ouve-se falar cada vez mais sobre esse conceito e como ele pode auxiliar no dia a dia das organizações e, principalmente, para atender a demanda de capacitar suas diferentes equipes. 

Com o mundo cada vez mais digital, é preciso entender as novas tendências em capacitação e oferecer aos alunos a possibilidade de informações rápidas, personalizadas e que possam ser acessadas a qualquer momento.

Ao criar um treinamento online, o conteúdo coletado junto à empresa passa por um processo de mediação andragógica, que contempla etapas de reorganização de conteúdos e de adequação, tanto do formato a ser utilizado, quanto da linguagem. Isso faz toda a diferença quando nos deparamos com públicos diversos. 

Um dos pontos principais da Andragogia, que é o ensino para adultos, é que o aluno tem que enxergar as vantagens que terá ao fazer um determinado curso. Quando preparamos uma trilha de aprendizado, nós, da MicroPower, focamos muito nos objetivos dos alunos, no que o aluno vai alcançar após fazer nossos treinamentos. 

Ao prepararmos o curso tendo como base os objetivos de aprendizagem voltados aos alunos, eles se sentem engajados e estimulados a fazer esses treinamentos, pois reconhecem sua utilidade e o quanto vão crescer como profissionais.

Cursos online muito longos, navegação linear, excesso de textos eram a cara do e-learning dos anos 2000. Isso ficou para trás. A geração Y, assim como a Z, que agora está entrando no mercado de trabalho agora, está acostumada a blogs, jornais online, assiste tutoriais e programas no Youtube, utiliza os mais diversos aplicativos para smartphones, está ultraconectada

Os cursos precisam seguir essa “pegada”, essa ambientação, pois é o que essa geração está acostumada a acessar.Quanto mais próximo o treinamento estiver do universo dessa geração, dessa nova identidade com a qual está acostumada, maior será sua motivação.

Principais características das gerações Y e Z são:

Nativos Digitais: cresceram com a internet, tablets e smartphones.

Especialistas em tecnologia: eles entendem a tecnologia melhor que outros.

Forte capacidade multitarefa: eles se sentem confortáveis em executar diferentes tarefas, simultaneamente.

São ambiciosos: eles nutrem grandes ambições e buscam ter sucesso enquanto jovens.

Necessidade de reconhecimento: eles apreciam os holofotes e têm um forte desejo de serem reconhecidos pelo menor de seus feitos.

Precisam de feedback constante: o fato de que eles recorrem aos mecanismos de busca da Internet de vez em quando indica que eles procuram informações constantes e feedback.

Precisam de flexibilidade: eles não gostam de processos rígidos e se sentem em casa quando oferecem a flexibilidade de fazer as coisas do jeito que querem.

Já os baby boomers e geração X servem como a “memória corporativa” das organizações e são tipicamente os disseminadores de conhecimento. Os boomers podem desempenhar um papel na formação de novos colaboradores, compartilhando seu conhecimento específico da empresa e transmitindo valores organizacionais.

Hoje, as gerações participantes da força de trabalho são as seguintes:
  • Baby boomers, nascidos entre 1946 e 1964.
  • X, nascidos entre 1965 e 1980.
  • Y, nascidos após 1980.
  • Z, nascidos após 1990.
Embora sejam diferentes em uma infinidade de maneiras, ambos têm sede de conhecimento, e o e-Learning é, muitas vezes, a solução para solucioná-lo.

Caso queira conhecer mais sobre as tendências em educação corporativa e ferramentas de aprendizagem, entre em contato com nossos especialistas. 


Ref.: 25 Melhores práticas em aprendizagem e desenvolvimento de talentos, de Nick van Dam e eLearningIndustry  
Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados