Setor automotivo investe em capacitação

Além de elevar o número de colaboradores capacitados, aprendizagem online auxilia nos processos de vendas e pós-vendas, analise estratégica e aculturamento do Dealer

A busca incessante por novas tecnologias, segurança, inovação, investimento em questões ambientais (reduzir as emissões de carbono devido à ameaça das mudanças climática) e as demandas dos consumidores por mais conforto e praticidade, são alguns dos fatores que têm impulsionado os avanços na indústria automotiva.   

Segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), divulgados em agosto de 2018, as vendas de veículos novos no País cresceram 17,7% em julho, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Foram comercializadas, em julho, 217, 5 mil unidades. É o melhor resultado para julho desde 2015. 
 

Diante de um cenário incerto, com altos e baixos, mas que ainda avança e demanda novas tecnologias, as empresas do setor buscam se adequar para lidar com os desafios que exigem delas mais personalização, profissionalismo, conhecimento técnico e poder de negociação. 

Para que isso aconteça de maneira assertiva, grandes automotivas estão cientes da importância do investimento na capacitação de colaboradores para driblar a crise, manter as vendas e alçar voos mais altos, melhorando questões como produtividade, receita, aculturamento da rede e posicionamento no mercado. 

Como? Primeiro é preciso entender que para obter resultados nos treinamentos de pessoas, é necessário ter visão a médio e longo prazo. Afinal, essa capacitação tem de estar alinhada à estratégia da empresa e isso demanda um planejamento cauteloso e feito por profissionais e empresas sérias e especialistas no assunto.

No entanto, a abordagem educacional com a rede tem que ser efetiva com o menor tempo possível, pois os lançamentos de novos veículos são constantes, ocasionando uma volatilidade para os Delaers, considerando a quantidade de ‘players’ no mercado.

Objetivo do treinamento

Buscando inovar e conquistar vantagens competitivas e sustentáveis, além dos treinamentos presenciais, o setor automotivo está migrando fortemente para o e-Learning, visto a ampla rede de concessionárias e em diferentes regiões do País.

Afinal, o poder de negociação, conhecimento do produto e da concorrência, empatia com o cliente para ter a percepção do que é relevante para a decisão da compra, são os fatores competitivos de uma concessionária em relação a outra. 

As vantagens de usar o e-Learning na indústria automotiva 

Auxiliar os profissionais das concessionárias (vendas, pós-vendas e atendimento) com toda estratégia e conhecimento referente aos seus produtos, integrando as informações do perfil do consumidor, informações de mercado, características e funções dos veículos, conhecimentos sobre a concorrência para os consultores de vendas, bem como toda parte técnica de motorização, reparo e manutenção para pós-venda, é extremamente importante e enriquecedor para o negócio. 

Houve um tempo em que aprender sobre um determinado veículo significava apenas adquirir experiência prática com o automóvel em questão. Carros, SUV, vans, motos e caminhões têm suas próprias nuances e diferentes modelos ou marcas podem ostentar uma série de novos sistemas, recursos ou funcionalidades que não foram incluídos nas versões anteriores. No entanto, graças ao uso do e-Learning na indústria automotiva, obter um amplo conhecimento dos veículos é mais fácil e rápido. 

Claro que você não pode capacitar, por exemplo, um mecânico de sua concessionária somente a distância. Por isso, cada vez mais empresas têm utilizado Blended Learning para desenvolver seus colaboradores, neste caso, o e-learning tem a função de nivelar o conhecimento antes de uma capacitação presencial.

Para o Business Executive da MicroPower, Rodney Ramos Martins, a rede de concessionária é beneficiada pela capacitação a distância, pois o funcionário (vendedor, atendente, mecânico, etc) permanece mais tempo alocado na concessionária sem impactar os indicadores do Dealer (ticket médio de vendas, índice de oportunidade de negócios para ‘box de pós-vendas’, etc) e diminui o tempo de treinamento presencial, otimizando de forma estratégica o investimento na capacitação.

Combinando a aprendizagem online com experiência prática

Não se esqueça de que usar a aprendizagem online na indústria automotiva não é um substituto para a experiência prática. Isso é realmente verdadeiro na indústria automotiva. Embora o e-Learning possa auxiliar o conhecimento e as habilidades fundamentais de se trabalhar com veículos, sua experiência só pode ser aplicada, aperfeiçoada e aprimorada por meio da experiência prática com diferentes tipos de automóveis. 

Com a utilização do Blended Learning (refere-se a um sistema de formação onde a maior parte dos conteúdos é transmitido em curso a distância, entretanto inclui necessariamente situações presenciais, daí a origem da designação blended, algo misto, combinado. Também é conhecido como ensino híbrido), você pode, por exemplo, colocar pré-testes para que os colaboradores que irão participar do treinamento presencial tenham feito, obrigatoriamente, o treinamento em e-learning, para que estejam munidos da teoria referente ao tema. 

Além disso, para manter seus clientes satisfeitos, é preciso estar cada vez mais criativo nos treinamentos virtuais, e isso só é possível com a expertise de profissionais preparados para desenvolver a mediação de conteúdo-base (e até a criação de conteúdos “do zero”), processo de design instrucional, produção e programação de cursos, trilhas de aprendizagem e a governança dos resultados.

Por meio da escolha correta de formatos e uma metodologia educacional adequada, é possível simplificar temas de difícil entendimento (como, por exemplo, funcionalidades técnicas de um carro) e deixar o conteúdo mais “simples” para o colaborador, atraindo e facilitando o processo de aprendizagem.

Altamente capacitados e motivados, os profissionais de sua rede conseguem demonstrar o conhecimento e a paixão pelos veículos. Com isso, o cliente final se sente cada vez mais confiante e fiel à marca.  

Um “novo” conceito na aprendizagem corporativa

O desenvolvimento dos colaboradores assistido pela transformação digital, não apenas economizam custos, como também colhem o ROI (Retorno sobre Investimento) em termos de engajamento do aluno e retenção de aprendizado. 

Em muitos casos o problema está na abordagem dos treinamentos desenvolvidos.

Muitas organizações encontraram na gamificação a resposta para atrair seus colaboradores aos treinamentos. Eles estão usando mecanismos de jogos como rankings, badges, lista de eventos e até loja virtual para resgate de pontos e milhagens, tudo para envolver os colaboradores, aumentar a produtividade e impulsionar o sucesso dos negócios.

“A estratégia de Gamificação explora um conceito básico do comportamento humano, que ao ser comparado em um ranking entre os pares, ninguém deseja estar por último, além de ter uma premiação (reconhecimento) para os melhores colocados”, informa Rodney Ramos. 

Está estratégia, segundo o Executivo, está alinhada com o conceito de Educação para Adultos (Andragogia) que tem como princípio:

1. Necessidade de saber: adultos precisam saber por que precisam aprender algo e qual o ganho que terão no processo.

2. Autoconceito do aprendiz: adultos são responsáveis por suas decisões e por sua vida, portanto querem ser vistos e tratados pelos outros como capazes de se autodirigir.

3. Papel das experiências: para o adulto suas experiências são a base de seu aprendizado. As técnicas que aproveitam essa amplitude de diferenças individuais serão mais eficazes.

4. Prontidão para aprender: o adulto fica disposto a aprender quando a ocasião exige algum tipo de aprendizagem relacionado a situações reais de seu dia-a-dia.

5. Orientação para aprendizagem: o adulto aprende melhor quando os conceitos apresentados estão contextualizados para alguma aplicação e utilidade.

6. Motivação: adultos são mais motivados a aprender por valores intrínsecos: autoestima, qualidade de vida, desenvolvimento.

Quer saber se realmente esse método é engajador?

A Montadora japonesa Nissan, Cliente MicroPower, foi pauta em 2017 da revista IstoÉ dinheiro contando como a organização melhorou seus processos por meio da gamificação. Na matéria, a gerente sênior de treinamento e qualidade, Lilian Poppi, contou como utilizam esse método. 

Composta por dez etapas, em que cada uma dura um mês, essa estratégia prepara os vendedores nos aspectos de relacionamento com o público e conhecimentos sobre os produtos. 
Para motivá-los, a empresa divulga rankings com os melhores jogadores de cada loja do País. Ao final de todas as fases, há uma cerimônia para o reconhecimento formal do melhor vendedor da empresa no Brasil. Confira a matéria na íntegra. 

Outro exemplo bastante significativo, é o da Disal Consórcio, que por meio do MicroPower Performa, a nova Academia de Vendas Disal, gerou um crescimento de mais de 200% na adesão aos treinamentos online, para, aproximadamente, 2.300 colaboradores das concessionárias associadas. 

Segundo a Coordenadora da área de Treinamento da Academia de Vendas da Disal Consórcio, Karina Ramalho, os maiores avanços foram conquistados no método EAD. Inicialmente, pela mudança da plataforma LMS, que permitiu com que a Disal trabalhasse com a adoção de estratégias de gamificação e responsividade. Confira o case na integra. 

Temos diversos Clientes que utilizam nosso sistema no setor automotivo, por isso, temos experiência nas demandas e desafios desse mercado. Com a plataforma é possível contar com: 

Índices de treinamento: tenha acesso a indicadores de performance de um determinado processo e o progresso dos treinamentos (cursos e/ou trilhas) por cada concessionária ou região. 

Mobile: acesse cursos, avaliações e biblioteca de arquivos e vídeos de sua organização diretamente do celular ou tablet. 

Videoteca: com o módulo do Media Services, o sistema liberará a biblioteca de vídeos para o usuário em uma estrutura semelhante ao YouTube. Os vídeos transmitidos utilizam a tecnologia streaming, ou seja, são executados em tempo real, não sendo necessário primeiro realizar seu download.

Trilhas: é um recurso do sistema muito importante que permite agrupar, de maneira visual, uma estrutura de objetos educacionais que devem ser realizados. Ela direciona facilmente o usuário a realizá-los em uma sequência e impede que o aluno prossiga se não tiver finalizado o objeto de aprendizagem atual. 
Normalmente, o agrupamento de cursos na trilha é realizado de acordo com o cargo do usuário. Exemplo: que conjunto de cursos o vendedor precisa realizar?

Portal de comunicação: utilize banner rotativo, informativo e notícias; Comunidades de prática, fórum, blog e enquetes; formulários de contato; estrutura de especialidades e especialistas.

Além disso, oferecemos o desenvolvimento de conteúdo, games e simulações. Tudo para enriquecer e auxiliar na Performance de seu colaborador e, consequentemente, de seu negócio. Entre em contato e saiba mais detalhes sobre nossa plataforma.

Compartilhe esta notícia nas redes sociais:
LinkedIn Google+
Os comentários estão fechados